Mobilização contra exploração infantil é realizada em B. Batista

19 maio 2017

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Bernardino Batista (PB) promoveu nesta quinta-feira (18) uma mobilização para adesão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

A iniciativa, que se deu inicio às 08h30 da manhã, no auditório da secretaria de Educação do Município, teve como objetivo convocar e mobilizar a sociedade a participar da luta, evidenciando a importância de se prevenir, responsabilizar e denunciar os crimes contra crianças e adolescentes.

A mobilização contou com a participação de alunos da escola José Batista de Sousa e usuários do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), Palestra com Psicologa Pietra, músicas e cartazes informativos complementaram a mobilização. De acordo com os organizadores a ação é uma forma de chamar a atenção da sociedade para uma luta constante em favor das crianças e adolescentes. “Nosso objetivo é convocar todos a participarem e aderirem a essa luta. Queremos que a sociedade assuma o compromisso de combate a violência sexual contra nossas crianças e adolescentes”, destacou.

Histórico

O dia 18 de maio é o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/00 e lembra um violento crime sexual que aconteceu em 1973, na cidade de Vitória, no Espírito Santo, contra uma menina de apenas oito anos, conhecido como “Caso Aracelli”. Os criminosos nunca foram responsabilizados. Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada em 18 de maio de 1973. Ela foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória (ES), poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

Símbolo

A campanha tem como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança.

18052017094849-exp8 18052017094959-exp 18052017095018-exp 2 18052017095030-exp3 18052017095041-exp4

Assessoria

Comentários