A FOGUEIRA LANÇA O FESMUZA

25 jul 2018

Faço parte do time dos tradicionalistas e nunca neguei essa prerrogativa que Deus me deu. Por isso, mantenho a fogueira da noite de São João como uma obrigação de reverenciá-la em frente a minha casa residencial, na Fazenda Cidade, localizada no município de São João do Rio do Peixe.

         Essa é uma tradição que aprendi desde os tempos dos meus avós, e tenho certeza que vou mantê-la até os últimos dias da minha existência.

         Na noite deste dia 23 de junho, chamada véspera de São João vou acender a fogueira pontualmente às dezoito horas, sob o pipocar dos fogos, traques, bombinhas, fogos de lágrimas e as chuvinhas balançadas pelas crianças que irão a minha Fazenda, para ver os encantos do São João antigo.

         A fogueira está erguida bem no centro da Fazenda, sob os olhares do busto de Luiz Gonzaga, localizado no centro da Pracinha Maria Alves Pereira, minha saudosa e inesquecível genitora.

         A “Casa de Reboco”, em homenagem ao Rei do Baião também assiste a toda essa solenidade. E mais à direita estão a Galeria “Azulão Santiago”, a Casa dos Artistas, a Casa do Poeta e a Casa do Pensador.

         Toda essa movimentação cultural foi criada e organizada pelo Grupo União São Francisco, entidade comunitária que rege os destinos da histórica Fazenda Cidade.

         Ao redor da fogueira está a Gruta das Saudades, que homenageia todas as figuras que têm trabalhos prestados à comunidade de Luiz Gonzaga. Não posso esquecer dois pontos importantes da Fazenda, a imagem de São João do Carneirinho colocada à direita da Casa de Reboco e a Quadra “Antonio Alcino”, onde são realizadas as grandes solenidades dos Festivais de Músicas Gonzagueanas.

         Bem perto da fogueira, uma mesa com bolos de milho verde, vinho, carneiro assado, cerveja gelada e algumas doses de aguardente para quem admite a danada da cachaça.

         O momento tem uma especialidade para a noite de São João, o ato preparatório do IV Festival de Músicas Gonzagueanas, promovido pelo Grupo União São Francisco, com o apoio da Galeria “Azulão Santiago” e o “Caldeirão Político”.

Escreveu: Francisco Alves Cardoso – 22/06/2011

Comentários