A SEGUNDA GRANDE GUERRA ACOMPANHADA EM POMBAL/PB

18 maio 2018

Na minha infância não largava por hipótese alguma a companhia do meu pai, onde quer que ele fosse. Lembro-me que na guerra de 1945, o Bar de Pedro Junqueira era o único lugar que dispunha de um rádio onde se podia ouvir os noticiários da guerra. Quando estava próximo do horário do noticiário da noite, salvo engano por volta de sete e meia, meu pai me chamava e saiamos em direção ao Bar Junqueira a fim de ouvir o noticiário da noite na voz do radialista Heron Dominguez. Eu ficava ao lado do meu pai, no meio de uma multidão que estava ali com a mesma finalidade. Depois do jornal pai ficava para escutar as explicações do Joquinha de dona Néca sobre a evolução das tropas aliadas frente ao exército de Hitler. Joquinha achava que as forças do eixo, Inglaterra, Estados Unidos e Rússia seriam vitoriosas ao contrário dos que achavam que a guerra estava perdida e Hitler ia tomar conta do mundo.Isso mesmo, no dia que foi anunciado que as forças dos Estados Unidos e Inglaterra estavam a entrar em Berlim pelo lado norte, porquanto a Rússia avançou pelo lado Sul, Joquinha foi ovacionado pelos presentes justo por ter antecipado a vitória quando muitos achavam impossível. No outro dia contei toda história para os meus amigos que pouco ou nada sabia o que estava a passar além das fronteiras da terrinha. Foi a partir daí que passei admirar Joquinha, fato este que perdurou até os últimos dias de sua vida….Isso mesmo, era uma figura de fala mansa, porém de uma inteligência e lucidez fora do comum….

Ignácio Tavares

Comentários