Ao ser desmoralizado no ar por radialista, Rômulo garante apoio a RC em caso de rompimento

13 fev 2014

Depois de ser “desmoralizado” no ar pelo radialista Fabiano Gomes, ao afirmar ser mentirosa a permanência do vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) ao lado do governador Ricardo Coutinho (PSB), em caso de rompimento da aliança PSB/PSDB, o presidente estadual do PSD, reafirmou seu posicionamento e garantiu que estará sim ao lado do socialista por uma questão de coerência. “Não sou homem de voltar atrás dos meus posicionamentos. Nunca me vendi. Trabalho com a tese de permanência da aliança, mas em caso de rompimento, permaneço ao lado do governador”, destacou.

O radialista Fabiano Gomes incitou o vice-governador ao afirmar que Rômulo Gouveia não aguentaria cinco minutos de arrocho da mãe do senador Cássio Cunha Lima, Glória Cunha Lima. Em decorrência dessa afirmação, RG decidiu participar do programa e acabou declarando em alto e bom tom que permanece sim ao lado do socialista, caso haja rompimento da aliança entre PSB e PSDB.

Rômulo disse ainda que estará ao lado de Ricardo Coutinho, porque pela primeira vez ele tem condições de se lançar candidato por si só. A garantia da vaga na majoritária ao senado na chapa do socialista, lhe faz permanecer caminhar ao lado do governador para dar continuidade às obras e ao trabalho que vem fazendo no estado da Paraíba.

Apesar de explicar que tem respeito por Raíssa que rompeu com o governador, Rômulo reafirmou que o PSD tem a posição de apoio à reeleição de Ricardo Coutinho. Ele declarou que vem lutando pela manutenção da aliança do PSB e PSDB. Rômulo ainda lembrou a recente declaração de Coutinho que deseja a permanência do PSD na chapa majoritária, o que reforçaria sua posição de candidato ao Senado.

“Isso foi muito importante para o partido. Um fato novo da presença do PSD na chapa majoritária. Esse é um desejo do partido. Inclusive com minha candidatura. Essa posição do governador fortalece a aliança do PSD e a defesa do partido pela continuidade da aliança com o PSDB”, explicou.

Havendo o rompimento, Rômulo disse que a decisão será do partido e não sua, mas ele trabalha para a reeleição de RC e a continuidade da aliança tucana com o socialista. “Você não pode me perguntar se já tenho uma posição, não falo por mim próprio, tenho que conversar com o partido, para que seja uma decisão do conjunto”, ressaltou.

Gouveia revelou que irá sentar na mesa com a Executiva do partido e apresentará a proposta que defende, se o grupo acatar, será a decisão final. “Mas acredito que sim, porque somos muito afinados. Eu tenho conversado com todos. Eu tenho dialogado permanentemente com todos”, finalizou.

Comentários