Após deixar o ‘ninho tucano’ para se filiar ao Solidariedade, Bruno diz que foi uma decisão “necessária”

9 abr 2018

Deputado estadual Bruno Cunha Lima divulgou nota sobre a sua saída do PSDB e ingresso no Solidariedade, partido que irá presidir no Estado. O parlamentar afirma que chega à legenda, que integra a oposição, para somar. Explicou que deixou o PSDB por não mais concordar com a linha que vinha seguindo, que se distanciara muito do sentimento da sua criação. “Essa foi uma decisão nada fácil e nem simples, mas foi necessária. Ela foi construída com meus amigos e aliados, como sempre fiz em minha vida pública”, relatou.

Confira a nota da íntegra:

Ousadia para novos tempos 
 
“NOVOS TEMPOS REQUEREM OUSADIA”.
 
A frase é de Mário Covas, dita em seu discurso de posse no Governo do Estado de São Paulo, em 1999 . Covas ajudou a fundar o PSDB ao lado de outros grandes nomes, com a inspiração de pessoas como Teotônio Vilela. Ela reflete o momento que vivo e a decisão que tomei de deixar a legenda tucana e ingressar no Solidariedade.
 
Essa foi uma decisão nada fácil e nem simples, mas foi necessária. Ela foi construída com meus amigos e aliados, como sempre fiz em minha vida pública, desde os tempos da política estudantil. Vale destacar que não estou “mudando de lado”, troquei de partido, buscando a consolidação de identidade própria, coisa tão cobrada pelas pessoas no momento atual.
 
As pessoas esperam o início de um novo tempo no País. Novos dias inaugurados por novas práticas e pela coragem de fazer a diferença. Infelizmente, o sentimento que embalou a criação do PSDB hoje já não é o sentimento majoritário do partido, salvo alguns bons exemplos, muitos deles vindos da própria Paraíba. Gente que tem feito a diferença!
 
Agradeço pelo tempo que estive no PSDB. Lá aprendi muito, fiz amigos e amadureci dentro da política, mas chegou o tempo de mudança. Agora, vou trilhar por um novo caminho. Chego ao Solidariedade, um partido que integra a oposição, para somar e para construir uma identidade que mais se aproxima dos meus ideais e convicções.
 
Essa é uma decisão de inaugurar novos tempos, novas perspectivas. E, como disse Covas, novos tempos requerem ousadia, novos tempos são construídos com coragem. Por isso, ingresso no Solidariedade para construir e somar em busca de uma política mais próxima das pessoas e do que elas almejam: a mudança.

 

Via: WSCOM

Comentários