Asa Branca

27 mar 2013

ASA BRANCA

Quando choveu no sertão,
A asa branca bateu as asas
E para o sertão, feliz, voltou.
Meu coração, endurecido,
Diferente da asa branca,
Alegre não mais ficou.

Não sei se a culpa foi
De uma dor que doeu tanto,
Mais tanto mesmo,
Que o meu coração migrou
Ferido, ficou cinzento,
E com a chuva que Jesus mandou
Nem assim ele de novo se alegrou.

Francisca Vânia Rocha

Comentários