‘Câmara é contra esse plebiscito’, diz líder do PMDB Eduardo Cunha

25 jun 2013

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), afirmou nesta terça-feira (25) que a “Casa é contra esse plebiscito” para discutir uma reforma política.

Principal partido aliado no Congresso, o PMDB deve defender que seja realizada uma Constituinte não só para reforma política, mas também tributária.

Ele cobrou que a presidente apresente sua proposta. Segundo ele, foi um “gesto político” a decisão de Dilma. “Se não detalhar, pode criar um tumulto. Ela tem que apresentar a proposta dela”, afirmou.

O comando do Congresso tenta afinar o discurso sobre a proposta da presidente. A ideia enfrenta resistência de governistas e oposicionistas.

Pela manhã, os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), deflagram reuniões para discutir a ideia. No início da tarde, os dois passaram a se reunir no gabinete em busca de unidade no discurso. Renan e Eduardo Alves podem se encontrar hoje com Dilma.

A proposta do plebiscito para uma reforma política provocou mal-estar especialmente por não ter sido discutida previamente com o Congresso.

Para o líder do DEM na Câmara, Caiado (GO), a proposta de Dilma seria inconstitucional.

MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

Folha UOL

Comentários