CANGACEIRA DULCE: NOS CAMPOS DE TUA INFÂNCIA

24 jul 2015

IMG_6084

Dia chuvoso, ontem, dia 23 de julho de 2015, saímos de Paulo Afonso com destino a Piranhas; no carro, eu, Nely, Josué, Tião Ruas e Marta, filha de Dulce, seguimos viagem para nos encontrarmos com Patricia Brasil (secretária de turismo) e Jaqueline Rodrigues (diretora de cultura).

A verdadeira missão seria levar Marta pra conhecer o local onde nasceu sua mãe, a cangaceira Dulce.

Embarcamos e seguimos rio abaixo, chuva fina banhando todos. Nely brigando contra as marolas quase arrancou os ferros que apoiavam a cobertura do barco.

chegamos a fazenda Jirimum, reduto do coronel Sinhô Correia.

o coronel Sinhô Correia era padrinho da cangaceira Dulce e em uma de suas casas Dulce nasceu, cresceu e seguiu para o cangaço.

visitamos as duas casas onde a história cita que Lampião e o coronel Sinhô Correia jogaram baralho.

depois da visita a casa grande da sede nos dirigimos a margem do rio onde se encontram os escombros da casa onde Dulce nasceu.

Entre lágrimas e olhares atentos Marta pisou as terras onde sua mãe foi tão feliz e de onde guarda tantas boas lembranças.

Percorremos os campos da infância de Dulce e compartilhamos da emoção de sua filha Marta.

Às margens do Rio São Francisco, em uma manhã chuvosa, a infância de uma mulher foi relembrada, de cujas terras ela hoje aos 92 anos de idade sente saudades.

Nos escombros barrentos de adobes quebrados a história eterna dessa última guerreira do cangaço.

IMG_6086 IMG_6090 IMG_6096 IMG_6097 IMG_6099 IMG_6104 IMG_6107 IMG_6115

Comentários