Carta aberta ao doutor.

2 abr 2013

CARTA ABERTA AO DOUTOR.

Autor: Geraldo Moreno Rolim

Caro Doutor,
Já não sei o que fazer neste mundo que de tudo há,
Me ensinaram a ler… a escrever…
E por que não me deixam falar?
Minhas mãos Doutor,
Tem correntes muito fortes,
Os meus pés já não podem mais andar,
A minha boca tá presa aos seus direitos,
E os meus olhos não podem mais olhar…
É Tenente Doutor, é Cabo, é Capitão…
É título, é cargo, é nobreza,
E tudo que vale nessa vida é que enche o “pobre” de tristeza.
Caríssimo Doutor, preciso lhe dizer:
Já apanhei sem merecer,
Já comi até mesmo sem gostar,
Mas quem come aquilo que não gosta Doutor,
A tendencia é sempre regurgitar.
Doutor, o a minha tristeza parece não ter fim,
Mas sei que um dia eu não vou mais soluçar,
Será o dia da vitória,
E unidos com meus filhos, eu vou…
Ah! Doutor… eu vou cantar.

SP,Abr/2013

Comentários