Chapa de André Gadelha poderá ficar inelegível por 8 anos

19 jun 2017

O ex-prefeito da cidade de Sousa, André Gadelha (PMDB), juntamente com o seu vice Ennio Medeiros poderão ficar inelegíveis por 8 anos.

O processo de nº 0003 12-83.2016.615.0035 que tramita na 35º zona eleitoral, pede a ilegibilidade da chapa, por possível gastos ilícitos na campanha eleitoral em que disputaram em 2016. O parecer do Ministério Público Eleitoral é favorável a condenação dos dois candidatos.

No processo, alega que os candidatos teriam se aproveitado de um aniversário de um de seus aliados para realizar um showmício disfarçado, onde haveria banda e a distribuição de 3 mil latas de cerveja de graça.

André, já havia sido absolvido por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral, da acusação de abuso de poder econômico e político nas eleições municipais de 2016 em que disputou sua reeleição, onde o relator do processo foi o juiz Breno Wanderley César Segundo. O Ministério Público Eleitoral pedia a cassação de André Gadelha, e a sua inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa.

O Ministério Público Eleitoral requer a procedência da ação, em todos os seus termos, com a condenação dos representados às penas de inelegibilidade para a eleição de 2016 e para as que se realizarem nos 8 anos seguintes, nos termos do art. 30-A da Lei das Eleições e do art.I’, 1, ‘:l” da LC 64/90; e a extração de cópias da presente demanda e remessa à Polícia Federal, para investigar o possível delito de falso testemunho (art. 342 do CP) praticado pelo aliado que estaria realizando o aniversário, em detrimento do Poder Judiciário da União, pelas razões acima expostas.

DIÁRIO DO SERTÃO

Comentários