CINQUENTENÁRIO DA NPR (Uma homenagem a José Adegildes Bastos)

30 maio 2015

Escreveu: Francisco Alves Cardoso

adegildes_NPR

No dia vinte de dezembro de dois mil e dez escrevi esse trabalho intitulado “Cinquentenário da NPR”, em homenagem a um dos mais destacados homens do rádio da cidade de Cajazeiras-PB, José Adegildes Bastos.

Eis o texto:

Sentimento levado a um alto grau de intensidade. Entusiasmo muito vivo transformado em emoção. Um hábito dominador. São os meios de definição de uma grande paixão.

Amor forte pela comunicação. O sentimento de afeto total pelo rádio. O trabalho integral dedicado a uma causa praticamente amadorística. Será que essas são explicações precisas para a luta constante, transformada em paixão do comerciante José Adegildes Bastos, que, aos oitenta e dois anos de idade, faz de um sistema de comunicação a razão maior de uma prolongada existência, repleta de felicidade, vitória e trabalho incansável.

J. Adegildo, como é carinhosamente conhecido pela comunidade cajazeirense, é formado em contabilidade, mas pouco exerceu a profissão escolhida nos bancos das escolas. Casado com dona Arlinda Mangueira Bastos, dessa feliz união conjugal nasceram quatro filhos: Robstein – administrador de empresas; Gisélia – médica; Giseuda – pedagoga e Robson, engenheiro eletrônico.

Pela formação dos filhos, torna-se fácil o entendimento do elevado espírito de liderança de Adegildo, na condução da ordem familiar, por isso, ganhou fama desde os primeiros passos profissionais como bom administrador.

Foi um dos fundadores da Difusora Rádio Cajazeiras, ao lado dos amigos Mozart e Gessê Assis. Dedicou mais de trinta anos à DRC, com amor integral pela causa. O Nordeste conhece a história.

No ano de 1960, mais precisamente no dia trinta de junho, instalou, num pequeno prédio, situado na Praça Camilo de Holanda, em Cajazeiras, a Norte Publicidade Radiofônica (MPR); na atualidade, uma instituição quase dedicada à filantropia, transformada na sua mais ardente paixão para servir a Cajazeiras e sua gente.

Três meses depois dessa proeza de implantação de um novo sistema de comunicação, Adegildo teve uma grata surpresa, pois o senhor Ioiô ofereceu um prédio, no centro da cidade, para o funcionamento definitivo da sua NPR. Mais tarde, ele comprou o imóvel onde funciona a sua paixão comunicadora e o seu comércio de material elétrico e variedades, e ele é o principal balconista com estilo de trabalhador jovem.

Quando ainda morava em Sousa, comprei materiais elétricos na Casa Norte, de Adegildo, por várias vezes. E depois que passei a residir na terra do Padre Rolim, passo em frente à porta do seu estabelecimento comercial várias vezes por dia, já que é um ponto dos mais visualizados da cidade.

A Casa Norte foi fundada no ano de 1967 e ainda continua no mesmo lugar, porque Adegildo é um tradicionalista, que respeita e admira as criatividades antigas, sem menosprezar os fatos do momento.

O “Caldeirão Político” continua a luta de resgate da história regional, e a NPR nunca poderá ficar de fora de qualquer movimento histórico de Cajazeiras, do sertão e da Paraíba.

No primeiro semestre do ano de 2011, lançarei mais um livro, desta feita, com crônicas de minha autoria, em especial, relembrando fatos marcantes do nosso tempo, e a NPR estará no centro desse trabalho de inestimável valor cultural.

A NPR é uma das maiores relíquias culturais da cidade de Cajazeiras, funcionando diariamente, em dois horários, das seis às sete e meia da manhã, e das dezoito às vinte e uma horas e trinta minutos, levando divulgações e a música mais seleta a todos os recantos da cidade, através dos quase cem alto falantes implantados no centro e bairros desta urbe progressista.

Ainda mantém o Neco na locução, um dos mais antigos da emissora, levando ao ar diariamente a alegria dos apaixonados pela NPR, que tem um público cativo na audiência, inclusive telefonando para Adegildo, logo nos primeiros momentos em que, um dos alto falantes sofre defeito, para que ele mande as providências com brevidade. Essas reclamações, certamente, deixam o tradicionalista Adegildo mais satisfeito, já que é uma prova real da valorização do seu trabalho meritório.

Destacadas figuras hoje, em níveis mais altos na comunicação e outras profissões, já passaram pela NPR, como Geraldo Nascimento e Bosco Neves, advogado. Todos esses fatos enobrecem a luta de Adegildo, pois, além dos serviços na área de comunicação direta, ajudou na formação de valores da terra, na conquista de passos mais elevados.

Não podemos negar que é um eterno saudosista, por isso, nas programações da NPR, o musical tem a maior dedicação para a velha guarda, destacando artistas do naipe de Nelson Gonçalves, Alcides Gerardi, Altemar Dutra, Angela Maria, Orlando Silva, Roberto Silva e Núbia Lafayete.

Não é brincadeira, mas Adegildo tem, no seu rico acervo, as obras completas de todos os seus preferidos cantores, sem esquecer o momento mais jovem, como CD do mundo recente.

Adegildo nunca ingeriu bebida alcoólica e é um homem muito reservado na sua vida social. É católico, mas não praticante. Tem respeito por tudo neste mundo, mesmo tendo alguma coisa que não admira, mas guarda dentro de si uma frase muito forte “O respeito cabe em todo lugar”.

Nunca disputou mandato eletivo, mas teve suas tendências em campanhas eleitorais de Cajazeiras, fato muito natural em todo brasileiro.

O “Caldeirão Político” relembra a história vitoriosa de José Adegildo Bastos, no momento em que ele completa oitenta e dois anos de idade, como também o cinquentenário da sua NPR. Temos que afirmar, não por obrigação, mas por reconhecimento e solidariedade, que ele é uma lenda viva desta cidade, um construtor de sua grandeza, uma lembrança que nunca poderá ser retirada das páginas da história.

Adegildo, no início da minha vida, antes de me tornar advogado, engatinhando os primeiros passos no jornalismo, soube me tratar como ser humano. Não esqueci, estou reconhecendo, de público, e agradecendo o apoio da entrada, que é o mais difícil da vida.

Ao mestre do rádio, ao octogenário da verdade, ao exemplar homem da história, a homenagem especial do “Caldeirão Político” ao criador e mantenedor da Norte Publicação Radiofônica, um marco indelével da comunicação de Cajazeiras.

José Adegildes Bastos, considerado um dos precursores da radiofonia sertaneja, faleceu na tarde da última sexta-feira, 29, no Hospital Regional de Cajazeiras, aos oitenta e cinco anos de idade.

O “Caldeirão Político” presta homenagem póstuma ao empresário e fundador do primeiro sistema de som do município, a Norte Publicidades Radiofônicas (NPR). Também foi um dos fundadores da Difusora Rádio Cajazeiras, ao lado do destacado Mozart de Sousa Assis.

Comentários