“Em homenagem à mulher”

5 mar 2013

“EM HOMENAGEM À MULHER”

Clemildo Brunet*

A data 8 de março celebra-se o Dia Internacional da Mulher. Neste artigo prestamos nossa homenagem a mulher símbolo de beleza e candura, que tem ocupado espaço na sociedade em suas conquistas, chegando a ter funções das mais graduadas não somente aqui no Brasil, mas também, em outros países deste planeta.

ORIGEM DO DIA

“É um dia comemorativo para celebração dos feitos econômicos, políticos e sociais alcançados pela mulher. A ideia da existência de um dia internacional da mulher foi inicialmente proposta na virada do século XX, durante o rápido processo de industrialização e expansão econômica que levou aos protestos sobre as condições de trabalho. As mulheres empregadas em fábricas de vestuário e indústria têxtil foram protagonistas de um desses protestos em 8 de março de 1857 em Nova Iorque, em que protestavam sobre as más condições de trabalho e reduzidos salários.

Esse acontecimento levou a uma versão distorcida dos fatos tendo sido confundido com o incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist, que também aconteceu em Nova Iorque, em 25 de março de 1911, onde morreram 146 trabalhadoras.

Segundo esta versão, 129 trabalhadoras durante um protesto teria sido trancada e queimadas vivas. Este evento porém nunca aconteceu e o incêndio da Triangle Shirtwaist continua como o pior incêndio da história de Nova Iorque.

Em 1975, designado como o Ano Internacional da Mulher, a Organização das Nações Unidas começou a patrocinar o Dia Internacional da Mulher. (Wikipédia, a enciclopédia livre).

Deus criou a mulher, à fez para que ela fosse auxiliadora do homem. Por causa da transgressão dos nossos primeiros pais, a culpa coube a ela. Eva cedeu aos caprichos de Satanás, cobiçou e comeu o fruto proibido. “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu” Gn.3:6.

A mulher carrega dentro de si o desejo de triunfo e muitas vezes, quer sobrepujar-se ao homem. Essa luta está no nosso cotidiano. É a chamada guerra dos sexos. Que a mulher tenha seu lugar na história e reivindique o seu direito de igualdade, tudo bem! Ultrapassar os limites do homem jamais.

“E Deus disse a mulher: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará” Gn.3:16. Seguindo a mesma linha de pensamento, o apóstolo Paulo fez algumas restrições à mulher de seu tempo. A mulher era para aprender em silêncio e ser totalmente submissa, não ensinar na igreja e nem exercer autoridade de homem. “porque, primeiro, foi formado Adão, depois, Eva. E Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Todavia, será preservada através de sua missão de mãe, se ela permanecer em fé, e amor, e santificação, com bom senso. ITm.2:13-15.

Mas em meio a tudo isso, a mulher tem o seu valor na história, pois Jesus Cristo, a valorizou. O mesmo apóstolo declara: “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei… Gl. 4:4.

Houve uma época que a mulher tinha preocupação em casar. Não podia passar do limite de certa idade, pois corria o risco de ser moça velha, titia ou coroa. Havia sempre os cuidados dos pais em busca de um bom partido para filha. A mulher não tinha participação nos assuntos ventilados pelos homens, nem se quer eram chamadas para emitir parecer sobre questões de interesse da casa ou escritório.

A mulher não era vista em mesa de bar bebendo, muito menos acompanhado por homens. (As que assim procediam eram mulheres de vida livre.) Não saía de casa sozinha; se não, acompanhada.

Em repartições onde só havia homens, não havia espaço para o sexo feminino. Não negociava, não tinha emprego público e nas eleições não tinha direito a voto. Suas tarefas eram exclusivas em cuidar da casa e da educação dos filhos.

Aos poucos a mulher vem ultrapassando as barreiras de uma sociedade cheia de preconceitos e machista. Hoje em dia já não existe a preocupação com o casamento. Algumas preferem ficar solteiras e escolher uma vida independente conquistada através de estudos, tendo como objetivo alcançar um bom emprego e ter sua liberdade. No entanto, apesar de tanto avanço em suas conquistas, a mulher ainda sofre discriminação.

Se for a ônibus, passa pelo vexame de homens inescrupulosos se esfregarem nela. Na rua passando por uma roda de pessoas do sexo oposto, é observada e dizem até piadas. Estupro e violência, algumas têm enfrentado amargando sequelas.

Assim é a mulher na sua diversidade humana.

contudo, a bíblia registra mulheres que no seu tempo fizeram história.

Ana, por exemplo, era estéril, orou para que Deus lhe abrisse a madre e ela deu à luz um filho, Samuel, consagrando-o ao Senhor.

Ester, que chegou a condição de rainha de um povo estranho e denunciou ao rei Assuero, o plano ardiloso do malvado Hamã que queria destruir sua gente. Salvou o seu povo da morte.

Débora, profetiza e juíza, mulher destemida que livrou o povo de Deus das mãos dos inimigos e cantou assim: “Ficaram desertas as aldeias em Israel, repousaram, até que eu, Débora, me levantei, levantei-me por mãe em Israel”. Jz.5:7.

De uma pobre prostituta, sem nome, apenas identificada como samaritana da cidade de sicar, teve um encontro com Jesus e se converteu, trazendo uma cidade inteira para se render aos pés de Cristo.

De Maria, mãe de Jesus, mesmo depois da morte e ressurreição do seu filho, creu nas suas promessas aguardando a descida do Espírito Santo, perseverando unânime em oração no Cenáculo com os apóstolos.

Nossos parabéns a mulher, que mesmo sofrendo revezes pela vida afora, vem superando as dificuldades e alcançando seus objetivos.

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER, PARABÉNS!

Pombal, 05 de março de 2013 – O Ano da Esperança.

*Radialista, Colunista e Blogueiro
brunetco@hotmail.com
Twiters @clemildobrunet e @brunetcomunica
www.facebook.com/clemildo.brunetdesa
www.clemildo-brunet.blogspot.com

Comentários