Encontrada afilhada de Lampião

18 fev 2013

Durante minhas pesquisas cheguei até Ana Maria dos Santos, dona Nô, que reside em Triunfo, Pernambuco. Ela foi batizada por Lampião, seu pai era coiteiro do cangaceiro. O nome do pai dela era João Zeferino dos Santos e sua mãe chamava-se Maria Joana da Conceição.

Dona Nô nasceu no dia 14 de abril de 1919 e encontra-se viva, completará  94 anos de idade daqui a dois meses, reside em um dos bairros da cidade pernambucana, vive cercada por filhos, netos e amigos. Encontra-se lúcida e gosta de contar as histórias da época do cangaço. Dona Nô foi casada com Manoel Pedro, irmão do cangaceiro Luiz Pedro, homem de confiança de Lampião. Ela diz que junto com Luiz Pedro seguiu o irmão Ulisses Pedro para o cangaço, ficando poucos dias na companhia de Lampião. Luiz Pedro ficou até a morte no dia 28 de julho de 1938, na Grota do Angico.

Na sua certidão de nascimento que se encontra no museu de Triunfo tem a comprovação  do batismo e do apadrinhamento, onde lê-se padrinho: Virgolino Ferreira da Silva. Documento que marca a história dessa mulher que viveu momentos festivos na presença daquele que foi o mais famoso cangaceiro do Nordeste Brasileiro.

Paulo Afonso, janeiro de 2013

João de Sousa Lima
Historiador e Escritor
Membro da ALPA – Academia de Letras de Paulo Afonso.
Membro GECC – Grupo de Estudos do Cangaço do Ceará.


Ana em foto de sua carteira de trabalho


Josué, Ana e João Lima; colhendo informações sobre sua história ao lado do Rei do Cangaço


Familiares de Ana e do cangaceiro Luiz Pedro. O senhor de camisa azul chama-se Luiz Pedro  e é sobrinho do cangaceiro do qual herdou seu nome.


Irmão de Luiz Pedro chora a morte de um parente ainda na época do cangaço.


Carteira de Ana que ela me presenteou. O detalhe de sua residencia cita Sítio retiro, mesmo lugar onde nasceu Luiz Pedro

Por João de Sousa

Comentários