Fantasmas do Amor

31 jan 2013

Teu amor não tem fantasmas,
Aparece como alma,
Mas só corpo ele quer…
Escapa da matéria,
Vai bem longe, ao infinito,
No finito do teu fôlego,
Só comendo do teu ímpeto,
Até às portas do sossego,
Pra no voo ele amar.
Voa cego como morcego,
Mira as cores do teu sangue,
Vê inteiro o teu sonho,
Vira alegre e tristonho,
No mundo das fantasias.
Tal amor tu só querias:
Atender ao bel desejo.
E por que tanto anseio,
Se o prazer é um lampejo
Do corpo sem preconceito?
Voa e pousa no teu leito,
Corpo e corpo são a alma
Do fantasma do teu amor.
Teu amor me fala alto,
Sussurra e fala baixo,
Diz sim que vale não,
Diz não que vale sim,
Vai além do coração.
Supera os preceitos,
Perdoado pela alma,
Teu amor vira fantasma…

Damião Ramos Cavalcanti

wall cloud peta dunia .

Comentários