Feliz em achar o Dom José Maria Pires

7 abr 2018

  Não posso mais entrar numa livraria; posso, mas não devo; não devo porque não posso: se entrar, saio com sacolas cheias de livros e de bolsos vazios. Além disso, enfrentarei discussões em casa, por não ter mais “onde colocar tantos livros e tanto papel”. Fui favorecido por tal  tipo de consumismo que muito me consome. Superado pelo desejo, continuo entrando nas livrarias e, sobretudo, comprando. E para evitar discussões,  já comecei também a dar, a algumas instituições, refugos e livros já lidos e relidos, como à APL e a uma biblioteca que, sem eu merecer, recebeu meu nome.
Nessa vez, comprei, como de costume, até o que já tinha comprado, um livro emprestado que não me devolveram: o Dicionário Analógico da Língua Portuguesa, de Francisco Ferreira dos Santos Azevedo; da Lexikon. Entusiasmei-me com a compra e, aleatoriamente, achei o verbete 942, sobre o altruísmo: desinteresse, desprendimento, desapego, generosidade, desambição, despojamento, despretensão, benevolência, probidade, excelsitude, nobreza de caráter, fidalguia, grandeza de coração, estoicismo, humanismo, renúncia, domínio de si mesmo, desinteresse, sacerdócio, apostolado, dadivosidade, e para sintetizar, diz que é sinônimo de madre Teresa de Calcutá.
Sinonimiza também Dom José Maria Pires que, no campo da caridade, enfrentou jogadas de ódio em preconceitos raciais, religiosos, políticos e ideológicos, sendo chamado de Dom Pelé. Nessas pelejas, sempre  chutou bem com os dois pés… Sofreu, na pele e por ela, perseguições às suas ideias, resistindo, nunca se negando ao altruísmo, o que levou o governador Ricardo Coutinho a construir e emblematizar o maior hospital da Paraíba com o nome desse mineiro que se tornou paraibano, exemplo de abnegação, de amor ao próximo e ao bem comum. Ao se sofrer alguma dor, ir ao Dom José Maria Pires será um alívio, um reconforto, na casa assim definida por Alcides Carneiro, ao inaugurar um sanatório do IPASE, em Nova Friburgo: “Esta é uma casa que por infelicidade se procura, mas por felicidade se encontra”. O paraibano, diante de eventuais tribulações, sentir-se-á feliz em achar o Dom José Maria Pires.

 Damião Ramos Cavalcanti

Comentários