SALÁRIOS ATRASADOS EM ALGUNS SETORES ATÉ 2 MESES, CRISE NO TRANSPORTE ESCOLAR, MOSTRAM DESEQUILÍBRIO NA GESTÃO DE C.I.

7 maio 2018

Mesmo sendo minoria, a bancada de oposição ao prefeito Alan Seixas de Cachoeira dos Índios formada pelos vereadores: José de Sousa Batista (Jacildo PMN), Francisco Joaquim de Oliveira (DEM), José Ricarte Feitosa (DEM) e Francisco Pereira de Oliveira (Chico Brito-PR), impôs uma derrota maiúscula ao gestor, quando reprovou o projeto de lei de número 004/18, que criava a Controladoria Geral do município, gerando uma despesa a mais na receita que mensalmente poderia chegar a 30 mil reais, a partir da acomodação de nada mais nada menos, do que 14 pessoas, ou seja, na prática a intenção de Alan Seixas, era abrir espaço dentro da estrutura de governo para muitos que podem ter sido seus cabos eleitorais, já que o preenchimento seria por ato de nomeação do próprio gestor.

A Bancada do prefeito ainda tentou justificar que a criação do órgão estaria atendo a uma determinação do Tribunal de Contas do Estado. Apesar de ser mesmo uma orientação do TCE-Pb, certamente isso não seria com tantos cargos.

A Oposição se posicionou contrária a esta iniciativa, por entender que as finanças de Cachoeira, começam a dar sinais de fragilidade, visto que o pagamento dos servidores já deixa de ser feito dentro do mês trabalhado. Além disso, os contratados estão com 2 meses sem receber pagamento segundo denúncias dos próprios vereadores, levando preocupação para o pequeno comércio, alguns temem servidores nesta situação, que os comerciantes não forneçam mais e suas famílias passem por necessidades.

Crise no Transporte Escolar:

Por outro lado, algumas mães estão preocupadas com a crise no transporte escolar e diante da possibilidade de perda ou suspensão do Bolsa Família, já que em muitos casos esta é a única fonte de renda que garante: alimento, roupa, remédio e material escolar das crianças. Inúmeras denuncias continuam sendo feitas nas redes sociais e na imprensa de Cajazeiras. Apesar da promessa de um dos assessores do prefeito de que problema seria resolvido, isso não aconteceu, e com o acumulo de faltas, o risco de prejuízo tanto de conteúdo educacional quanto financeiro torna-se eminente.

Em Bom Jardim, foram quase 20 dias sem o serviço, já em Caiçara até a manhã desta segunda 07, as informações apontam que o problema persiste.

Portanto, tendo diante de seus olhos um cenário tão tenebroso, os vereadores preferiram e com razão, não votar favorável da matéria, evitando que aconteça um atraso geral da folha, o que iria causar um impacto negativo na economia do município.

Redação: Jotha Herre

Comentários