Formação do Bairro dos Pereiros, em Pombal/PB

26 maio 2017

A formação do “Bairro dos Pereiros” se deu com a expulsão dos excluídos das ruas centrais de Pombal, após a homologação do “Plano de Postura da Cidade”, aprovado pela Câmara Municipal de Pombal” em 1936.

O Bairro começou com um arruado e deve ter recebido o nome de “Rua dos Perdidos” por conta da abundancia dessa árvore na região.

Os moradores eram, em sua maioria, artífices, mulheres que serviam nas cozinhas dos moradores das ruas centrais da cidade, agricultores e desempregados.

Haviam ainda ali alguns bares e postibulos que se deslocaram do centro para a localidade em conseqüência da implantação do Plano de Postura.

Com a chegada da indústria “Brasil Oiticica” e da Ferrovia, a rua cresceu até chegar a ser chamado de “Bairro dos Pereiros”.

A “Brasil Oiticica” contratava as mulheres do entorno para trabalhar na costura e recuperação dos sacos de estopas, e a noite elas vendiam mangai na “pedra da estação” . Com essas atividades o dinheiro permitiu a melhoria das casas, que sempre eram muito bem cuidadas por seus moradores.

A igreja de São Pedro, no Bairro, é de 1957 e foi iniciativa da comunidade com apoio decisivo do Padre Vicente Freitas, que organizou as Quermesses para arrecadar fundos, prática que acontece até os dias atuais, sempre no mês de junho: FESTA DE SÃO PEDRO.

Um dos párocos mais controvertidos da paróquia foi o Padre Levi.

A igreja serviu para acolher as mulheres que, por suas práticas e forma de vida repudiada pela saciedade á época, não circulavam nas ruas centrais de Pombal, e não eram, portanto , aceitas nas igrejas do centro.

Até o final da década de 1970 era o último bairro a Sul da cidade.

A mudança do nome do bairro, que já tem 82 anos, não acrescenta em nada à comunidade, ao tempo que é uma agressão a história dos que por ali chegaram e, mesmo cultivando São Pedro como patrono da localidade, sempre se orgulharam do nome do Bairro.

image (1) image (2) image (3) image

Jerdivan Nóbrega de Araújo

Comentários