Fórum dos Assentados da Zona da Mata Norte discute recursos hídricos e meio ambiente

17 jul 2013

Construção de cisternas para garantir água para a produção de alimentos, construção e recuperação de açudes, instalação de sistemas de irrigação e recuperação de áreas degradadas. Estas foram as principais demandas apresentadas na reunião da Comissão Mista da Zona da Mata Norte, realizada na manhã desta terça-feira (16), no auditório da Superintendência do Incra na Paraíba, em João Pessoa.

Cerca de 60 pessoas participaram do evento. Entre elas, representantes dos oito municípios que compõem a Zona da Mata Norte e reúnem 29 assentamentos, técnicos da Assessoria de Grupo Multidisciplinar em Tecnologia e Extensão (Agemte), que presta assistência técnica aos assentamentos da região, e do Instituto de Assessoria à Cidadania e ao Desenvolvimento Local Sustentável (IDS), que faz a intermediação entre o Incra/PB e as entidades prestadoras de assistência técnica aos assentamentos da reforma agrária no estado.

Também participaram da reunião o superintendente regional do Incra/PB, Cleofas Caju, e representantes da Superintendência Estadual de Administração do Meio Ambiente (Sudema), da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

Com o apoio dos técnicos da Agemte, os agricultores dos assentamentos da Zona da Mata Norte criaram, no último mês de abril, a Comissão Mista da Zona da Mata Norte com o objetivo de tratar, junto a órgãos governamentais e não-governamentais, de questões relativas à vida nos assentamentos. Foram levantadas, principalmente, as dificuldades enfrentadas pelas comunidades nas áreas hídrica e ambiental, bem como as ações que podem contribuir para aumentar a produção e melhorar a qualidade de vida das famílias.

Entre as demandas apresentadas estão a construção de cisternas com maior capacidade de armazenamento de água, a exemplo das cisternas calçadão para produção; instalação, recuperação e limpeza de barreiros, açudes e poços; instalação de sistema de irrigação onde há potencial hídrico, resguardando os princípios da sustentabilidade e garantindo maior capacidade de produção; recuperação de áreas desmatadas e de matas ciliares.

“Apesar de possuírem uma média pluviométrica favorável, os assentamentos localizados na Zona da Mata Norte precisam ter sua estrutura de captação hídrica ampliada para garantir e aumentar a produção diversificada que já existe e que vem sendo, inclusive, direcionada ao Programa de Aquisição de Alimentos da Conab e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar, o Pnae”, afirmou Cleofas Caju.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Incra-PB

Comentários