Juiz decreta prisão de policial acusado de matar jovem na frente dos pais em Cajazeiras

22 mar 2013


O jovem Marciano de Freitas Trajano, de 23 anos, foi assassinado com um tiro no peito.

O Juiz da 1ª Vara da Comarca de Cajazeiras, Djacir Soares, decretou nessa quinta-feira (21), a prisão preventiva do policial militar conhecido por Cabo Anchieta, acusado assassinar o jovem Marciano de Freitas Trajano, em maio do ano passado.

Fatos

De acordo com relatório da polícia civil a vítima estava lavando sua motocicleta na calçada de sua residência, na companhia dos pais e irmãos, quando lá parou um homem de aproximadamente 55anos de idade, forte, moreno e de cabelos grisalhos, perguntando se Marciano de Freitas Trajano poderia consertar o aparelho de ar condicionado dele.

A vítima respondeu que não trabalhava mais naquela área e não poderia ajudá-lo. O acusado insistiu para Marciano acompanhá-lo até a casa dele a fim de consertar um ar condicionado, mas, o jovem não atendeu a solicitação, e o motoqueiro saiu de frente a casa da vítima.

Passados alguns instantes o motoqueiro retornou, parou o veículo, desceu dele e sacou uma arma da cintura e disse: “você sabe o porquê”, e em seguida efetuou um disparo fatal no peito da vítima. A cena foi presenciada pelo irmão da vítima.

Motivação

Testemunhas relataram que no dia 15/05/2012, o filho do policial militar teria sido agredido por alguns rapazes e a vítima, Marciano teria sido um dos agressores.

Investigação

Ao ser interrogado o policial usou como álibi  uma viagem para um determinado município, alegando que na hora do homicídio não estava no local do fato; todavia, essa argumentação foi facilmente rechaçada após as investigações revelarem que o policial militar não estava naquela cidade na hora do evento delituoso.

As provas técnicas confirmaram que o suspeito estava no local do crime na hora em que ocorreu, havendo reconhecimento fotográfico do policial pelos familiares, sua motocicleta, reconhecida por testemunhas, usada na execução foi apreendida em um sítio da região com uma pessoa que testemunhou que comprou  o veículo na mão do policial uma semana  após o homicídio, uma arma foi apreendida na residência do indigitado, provavelmente a usada na execução, dentre outras provas que apontaram a autoria.

Após seu interrogatório, o indiciado foi encaminhado ao 6ºBPM de Cajazeiras, sendo provavelmente transferido para o batalhão de Patos.

Entenda

O jovem Marciano de Freitas Trajano, de 23 anos, foi assassinado com um tiro no peito, em frente a sua residência, no conjunto Pio X, cidade de Cajazeiras. O crime aconteceu na noite dessa quarta-feira (16), quando a vítima estava lavando uma motocicleta.

De acordo com informações da polícia, o acusado pela prática do crime chegou no local do crime e perguntou a Marciano se ele trabalhava com conserto de refrigerador, informado que não, o acusado sem motivo aparente sacou a arma e atirou contra o peito esquerdo do jovem.

A vítima ainda foi socorrida por populares paro o Hospital Regional de Cajazeiras, mas devido a gravidade do ferimento foi a óbito.

Conforme informações do comandante do 6º Batalhão, o Tenente Coronel Ronildo, Marciano tinha várias passagens pela policia, acusados de cometer alguns delitos na cidade, por isso acredita-se que esse homicídio teria sido vingança.

O acusado não foi identificado e após a prática do homicídio foragiu e ainda não foi localizado.

Do DIÁRIO DO SERTÃO

Comentários