MEU SERTÃO MINHA VIDA

22 abr 2017

Estou de volta a minha terra
Nunca expectativa sem fim
Conto os minutos e somo as horas
Nessa ansiedade carmesim
O coração quase salta fora
Na dor que só dói em mim

Sei que verei as mesmas coisas
Pessoas e lugares enternecidos
A praça da igreja matriz
Com seus altares guarnecidos
Mas a emoção fala mais alto
No peito de um coração sofrido

Meus amigos quero rever
Meus familiares também
A ausência nos ensina
A mais querer bem
Seja vivo ou seja morto
Aqui agora ou no além

O sol sertanejo é causticante
E a caatinga é embravecida
Assim também é minha alma
Nessa terra estarrecida
Mas foi do barro e da cacimba
Que o Criador fez-me vida

Sertão estou chegando
Nessa origem eternizada
Cangaceiros e cabras da peste
Preparem a minha buchada
Pois no nordeste eu sou tudo
E fora dele não sou nada

Brasília, DF, abril de 2017.

arimathea

Arimathea Barbosa

Comentários