O pessoense Cássio

11 maio 2013

Apesar de todo ciúme que pode provocar em Campina Grande, Cássio Cunha Lima é, oficialmente, a partir de ontem, 10, pessoense.

Há quem diga que a Câmara de Campina, por ciúmes, prepara Moção de Repúdio à Câmara de João Pessoa pelo título de Cidadão conferido ao tucano, durante solenidade que lotou os espaços da Casa “Napoleão Laureano”.

Para o campinense que o adora, não é fácil ouvir um pessoense dizer “Cássio também é nosso”.

Ciúmes à parte, o Título concedido a Cássio, que recebeu tantos outros na sua vida, não é algo de pouca importância. Representa a vitória do “campinismo” arragaido sobre a dispersão “pessoense”, que também tem coração para amar seus líderes políticos, mas de forma menos visceral, de maneira mais desapegada, menos desapaixonada, do ponto de vista pessoal, do que Campina costuma fazer com os seus.

Por representar Campina, no nome e da rima, de forma muito contundente, Cássio sempre enfrentou resistência na Capital. O resultado eleitoral dos últimos pleitos prova isso. Alguma simpatia ali, uma admiração acolá e tantos outros apaixonados. Mas, no geral, o pessoense sempre torceu o nariz para o “menino de Campina”.

Foi a partir do final de seu governo que ele começou a mudar esse quadro. Os planos de cargos ajudaram com o servidor, em sua maioria lotado na Capital, bem como algumas ações como governador, como entrega de casas, marcaram o início do degelo.

O processo de afastamento do governo e a via crucis, que purifica qualquer homem, também. Hábitos mais simples como caminhar na praia, almoçar em restaurantes e freqüentar shoppings centters, apesar de em menor escala, contribuem também.

Independentemente da razão, o fato é que Cássio hoje, com ou sem Título de Cidadão Pessoense, já sentia mais à vontade de se dirigir à Capital e aos pessoenses para dizer que nem só de Serra e São João vive o homem.

Tinha direito a pegar o Título desde 1999, mas só achou por bem pegá-lo verdadeiramente agora, quando não se levantou voz alguma a contestá-lo.

O efeito pra Raoni

Além de Cássio, do ponto de vista político, outro que marcou uma conquista pra si foi o vereador Raoni Mendes (PDT), autor de sessão. Ao trazer pra si a atualidade da homenagem, Raoni angariou, sem querer querendo, a simpatia dos que são simpáticos a Cássio. Pré-candidato a deputado estadual, pegou um prato cheio.

Romero vigilante

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB) deixou seus afazares em Campina Grande e saiu em disparada para estar presente à homenagem do amigo e primo Cássio Cunha Lima. Provocado por aqueles que disseram que ele não precisaria ter feito tal esforço, Romero disparou com bom humor: “Tenho que cuidar do meu filho se não ele me deixa”.

Equipe fiel

Na sessão, chamou atenção a presença de ex-secretários do governo Cássio. Pedro Adelson, Franklin Araújo, Verônica Bezerra, Harrison Targino, Solon Benevides, Jacy Toscano, entre tantos outros.

A bancada do tucano

Oito deputados estiverem presentes à sessão. Edmilson Soares, João Gonçalves, Jutay Meneses, Eva Gouveia, Assis Quintans, Lindolfo Pires, Domiciano Cabral e Carlos Dunga.

Luís Tôrres

Comentários