O POLÍTICO DAS MÃOS LIMPAS

6 set 2017

O Caldeirão Político estreia hoje uma nova coluna intitulada “O POLÍTICO DAS MÃOS LIMPAS”, uma homenagem especial aos políticos de crédito, de respeito e verdade.

Essa coluna alcança políticos de qualquer município, sem mácula.

É uma homenagem diretamente ligada aos homens e mulheres que ainda tem vergonha na cara.

O Homem das Mãos Limpas

Texto e arquivo particular: Antonio Albuquerque

maoslimpas

Nos meus 19 anos, estudante, militante político, cortava de norte a sul, leste a oeste, levando uma mensagem nova política dentro da grande Porto Alegre, de um político que criara o Movimento Trabalhista Renovador (MTR), com uma mensagem atual e o povo já naquela época aspirava pela a honestidade de seus políticos e a palavra em cumprir as promessas para o povo.

Um pouco da história de Fernando Ferrari, que foi eleito em 1958 para deputado federal com 147.996 votos, conquistando pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) a marca do mais votado de toda Câmara Federal.

Conquista que foi decisiva para o PTB naquela época, pois o Rio Grande tinha 24 cadeiras e com isto conquistou 14 cadeiras.

Naquela legislatura estavam na Câmara Federal Wilson Vargas da Silveira (PTB), Tarso Dutra (PSD)Alberto Hoffmann(PRP) e Raul Pilla (PL).

Em 1958. Leonel de Moura Brizola, foi eleito a governador do Estado do Rio Grande do Sul e Fernando Ferrari, rompeu com então governador no segundo ano de administração do Estado e fundou o Movimento Trabalhista Renovador(MTR).

Em 1960 derrotou João Goulart no Rio Grande do Sul como candidato a vice-presidente da Republica, época que era votado também a chapa do vice, mas João Goulart fez mais voto no resto do país.

Em 1962, concorreu ao governo do Estado, com o seu projeto de Reformas pelo Voto e denominado Governo Renovador, mas ficou em terceiro lugar, onde o sufrágio das urnas deu a vitória a Ildo Meneguetti (ADP) e Egydio Michaelsen (PTB) ficou em segundo lugar na sucessão de Leonel de Moura Brizola.

Nesta nesta eleição Fernando Ferrari conseguiu colocar um deputado federal, Jairo Brum e quatro estaduais, Cândido norberto,Flávio Ramos,Osmar Lautenschleiger e Heitor Silveira campos.

Mas no ano de 1963, em um acidente aviatório no lugar denominado morro do Chimarrão em 25 de maio, o Rio Grande do Sul, perdia um político que havia marcado pelas suas posições fortes na campanha de “Homem de Mãos Limpas”.

Comentários