OS HERÓIS DA MINHA VIDA

2 jun 2017

Sem o apoio desses heróis homenageados, certamente não estaria falando do Parque Cultural O Rei do Baião e nem relembrando as vitórias conquistadas com a força que Deus me deu.

I – Padre João Cartaxo Rolim: o eterno vigário da Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios, da cidade de Sousa-PB. Meu protetor, grande amigo e um santo homem. Sem a força de Padre João, não teria acontecido o início vitorioso de minha vida.

II – José de Paiva Gadelha: o político feito de coragem e lealdade. O professor que me fez o coordenador político.

III – Ariano Vilar Suassuna: o mestre da cultura, da alegria e do teatro. Com ele aprendi que a arte cênica é a passagem da vida normal para a vida das artes.

IV – Valdeci Rodrigues de Araújo: o mestre da humildade, o conselheiro de todos os momentos, o defensor do jovem Chico Cardoso, com coragem e amor pela cidade de Sousa (PB).

V – Lindalva Dias de Sousa: a companheira vitoriosa, rainha da sociedade sousense, a orientadora dos dias e das noites.

VI – Dr. João Yvani Saldanha: saudoso prefeito de Santa Cruz (PB). Foi ele quem abriu as portas do Palácio da Redenção, juntamente com o deputado Efraim Morais, para a minha nomeação como Defensor Público do Estado.

VII – Dr. José Pordeus Gadelha (Zé de Tozinho): o meu inesquecível protetor. A voz reconhecida na minha defesa.

VIII – João Januário Maciel (Joquinha Gonzaga): o homem progresso do Parque Cultural O Rei do Baião. Ele acredita nessa promoção.

IX – Dr. Onaldo Rocha Queiroga: o incentivador das vitórias constantes do Parque O Rei do Baião.

X – Wilson Leite Braga: o líder político que me fez Defensor Público, vitória que nunca será esquecida. A ele o meu eterno agradecimento.

XI – Governador Ivan Bichara Sobreira: fez-me professor do Estado, reconhecendo minha força.

XII – Garrincha: o ídolo que me trouxe a paixão pelo futebol e pelo Botafogo de Futebol e Regatas.

XIII – Osório Luiz Ferreira: o prefeito que reconheceu a minha determinação para o trabalho, em Nazarezinho (PB).

XIV – Luiz Gonzaga: a história que abriu o meu encanto pelo gonzaguianismo, o que me fez criar o Parque Cultural O Rei do Baião, na Fazenda São Francisco, município de São João do Rio do Peixe (PB), onde foi aberto o relacionamento da família de Gonzaga e a aproximação com os fãs do “Rei do Baião”.

XV – José Nello Zerinho Rodrigues: o Presidente de Honra do Parque. Um dos mais autênticos colaboradores da instituição e da cultura gonzagueana.

XVI – Padre Oriel Antônio Fernandes: o sacerdote que incentivou a minha entrada para o Seminário Nossa Senhora da Assunção, em Cajazeiras (PB).

XVII – Dr. José Nilton Fernandes Dantas: o homem coragem. Palavra do reconhecimento. O líder inquestionável.

XVIII – Severino Cardoso de Araújo e Maria Alves Pereira: meus queridos pais. O amor na vida e na morte.

Comentários