Os Pingos Quentes das Últimas Horas

26 jul 2013

As movimentações políticas em favor da pré-candidatura do ex-deputado Jeová Campos (PT), para deputado estadual, nas eleições do próximo ano são as menores em Cajazeiras.

Os aliados do ex-deputado não estão acreditando na sua campanha, e por isso não se atrevem a “jogar” o bloco nas ruas.

Jeová precisa organizar um grande bloco político para convencer os amigos de que a sua candidatura é viável, e tem chances reais de retornar a Assembleia Legislativa da Paraíba.

Ele sabe que vai enfrentar três pesos muito fortes aqui em Cajazeiras, os deputados Antônio Vituriano (PSC) e José Aldemir (PEN), e o multimídia Fabiano Gomes.

O empresário Carlinhos de Deodato (PTB), voltou a reafirmar ao “Caldeirão Político” que vai disputar a prefeitura de Sousa, nas eleições de 2016.

Carlinhos classificou como fraca, até agora, a administração do prefeito André Gadelha (PMDB), por isso já anuncia a possibilidade de ser o nome oposicionista para derrotar o “gadelhismo”, nas próximas eleições municipais.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), resolveu lançar o bloco da sua pré-candidatura a presidência da República, em todos os Estados da federação.

A partir de agora, ninguém mais tem dúvidas de que Eduardo concorrerá a presidência e fará oposição cerrada à presidente Dilma Roussef (PT).

No momento em que o governador pernambucano determina que o PSB apoie o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nas próximas eleições, deixa claro que o rompimento está feito com o PT e ele está cada vez mais próximo do PSDB.

O PSB vai indicar o vice-governador de Alckmin, segundo determinações do presidente nacional da legenda, marcando definitivamente a união de PSB e PSDB, nas eleições de 2014.

Segundo informações de Brasília, as cúpulas do PSB e PSDB firmaram um acordo, no sentido de obedecer, para as alianças próximas as possibilidades de cada partido nas eleições estaduais.

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), também não está numa situação boa para a sua reeleição, já que aparece apenas com 25% de aprovação, segundo a pesquisa divulgada nacionalmente, no dia de ontem, 25.

No momento em que o Ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, não cumprimentou a presidente Dilma Roussef, na grande solenidade de recepção ao Papa Francisco, no Rio de Janeiro, deixou claro que por trás de toda aquela negativa está um desejo que ele tem dentro de si, mas ainda não anunciou por entender que o momento não é esse.

Na opinião do “Caldeirão Político”, o Ministro Barbosa pretende disputar a presidência da República, nas eleições do próximo ano, principalmente depois que ele viu e ouviu toda a movimentação da juventude brasileira, com especialidade, protestando contra o governo que aí está levando o Brasil para um descalabro administrativo.

As pesquisas todas apontam o Ministro Joaquim Barbosa como um dos preferidos do povão. Ele faz o povo acreditar que o seu projeto pode ser a solução para melhorar a pátria brasileira.

Ao não cumprimentar a presidente, Barbosa “disse” ao Brasil que não aprova o governo de Dilma e faz parte desse movimento, que aos poucos cresce em todos os recantos da pátria, protestando veementemente contra a corrupção, com especialidade.

O momento não poderia ser melhor do que aquele para escantear a presidente da República. Com aquela decisão de não cumprimentar a Chefe da nação brasileira, o Ministro Joaquim Barbosa mostrou que tem coragem, determinação e está preparado para enfrentar a luta eleitoral.

Tudo isso vai depender do povo brasileiro. É hora de mudar e o Ministro espera a coragem dos brasileiros.

Comentários