PAULO AFONSO E A COMUNICAÇÃO “NAS ONDAS DAS RÁDIOTRANSMISSÕES”

3 fev 2015

Quando se fala sobre comunicação em Paulo Afonso a primeira pessoa que vem à mente é Gilberto Leal. Sem sombra de dúvidas ele foi nosso maior comunicador e o seu sistema de autofalantes acoplados a uma Chevrolet Brasil, chamado “A VOZ DO POVO” marcou toda uma geração e entrou para a história da cidade.

Gilberto Leal além de ser “Garoto Propaganda” dos supermercados Casas Pesqueira, de propriedade de Alonso Maciel, foi um dos maiores apresentadores dos shows promovidos pelo supermercado, que trazia todos os anos em seus aniversários, vários artistas de renome no país. Aqui tivemos Gretchen, Jerry Adriany, Fafá de Belém, Alcione, Sidney Magal, Márcio Greyck, Cláudia Barroso, Roberto Leal e muitos outros.

Da velha guarda dos comunicadores podemos citar: Roque Leonardo, Gilberto Leal, José Rudival, Salviano Gabriel da Silva, Eliodório, Elias Lourenço, Paulo Litó, Cícero Pires, Sílvio Menezes, Luiz “Lula” Tenório, Edvaldo Santos, Gérson Campeão, Aluísio Almeida, Mário Santos, Antônio Bernardo da Silva, Adalice Maria da Silva, Paulo Andrade, Donizete Nascimento, J. Bezerra, Antônio José Diniz, Fernando Pereira, Antônio Galdino, Dejacy Oliveira, Djalma Nobre, Tony César, Geraldo Relojoeiro, Saul Camboin, Nilson Brandão, Carlos Nascimento, Rosalvo Soares.

Tivemos grandes nomes na comunicação, mas nenhum tão festejado, admirado e representado como Gilberto Leal.

Gilberto Leal também apresentava o famoso Pastoril, com Edvaldo Santos, uma eterna rivalidade entre o CORDÃO ENCARNADO (vermelho) e o CORDÃO AZUL.

Edvaldo Santos transmitia pela Rádio Poty, todas as sessões da Câmara de Vereadores. Ele e Paulo Andrade apresentavam aos domingos, na década de 1960, o programa “A HORA DO GURI”, no Cine São Francisco. Uma assídua participante desse programa era Marlene Cordeiro (esposa de Geraldo Relojoeiro).

Outro grande apresentador e comunicador foi Roque Leonardo Barbosa que até hoje mantém com a família, carros de som para propagandas volantes.

Dos jovens talentos dos programas de rádio temos: Fábio Salvador, Giuliano Ribeiro, Ozildo Alves, Gil Leal, Marcelo França, Antônio Carlos Zuca, Altair Leonardo, Dantas, Anderson de Souza e Manoel Alves.

Os prêmios eram doados por Alonso Maciel em nome do supermercado “Casas Pesqueira”. O programa chegou a ser transmitido pela Rádio Poty.

Além de Marlene, se apresentavam também Leonora Cleonice das Neves e Toinha.

Marlene lembra ainda hoje, uma das músicas em que foi premiada cantando:

ME LEMBRO QUANDO CRIANCINHA
MINHA MÃEZINHA VEIO FALAR COMIGO
FALAVA PRA DONA CHIQUINHA
ESSA GAROTINHA VAI SER UM PERIGO
CORRIA PRA ME BATER
E A CORRER ELA GRITAVA
PÁRA MENINA PÁRA
SENÃO VAI APANHAR
DANADA EU NÃO PARAVA
CONTINUAVA SEMPRE A CORRER
O SOL PARECIA BRASA
SÓ CHEGAVA EM CASA AO ANOITECER
CHEGAVA BEM DE MANSINHO
DIZIA MINHA MÃEZINHA
POR DEUS EU PEÇO PERDÃO
AI EU ME AJOELHAVA
ELA PERDOAVA E NÃO BATIA NÃO.

Outro programa de auditório que marcou época em Paulo Afonso foi o “COLISEU SHOW”, revelando muitos artistas, tanto cantores quanto músicos.

O Coliseu Show foi apresentado por Roque Leonardo, Antônio Galdino, Nilson Brandão e Rubem Marques.

Toinho e seu conjunto “Os Dissonantes” e Elias Nogueira com sua banda “Satélites”, embalavam os acordes das festivas matinês dominicais.

Um dos maiores vencedores das alegres e inesquecíveis tardes de domingo do Coliseu Show foi Oscar Silva. Além dele, outros artistas tiveram destaques: Juvenal Souza, Altair Leonardo, Altamir Leonardo, Jairo, Miguel, Antônio de Pádua, José Amilton “Sumé”, Guru, Rato, Zé Leite, Dedinho, Mário Vinha, Edemir Rodrigues, Isaque Freire, Risomar Almeida, Manoel França, Osvaldo Silva, Aroldo Ferreira, Chico Feitosa, Leide Teixeira, Sílvio Xavier, Bernadete Goiana, Laércio Sá, Severino Silva “Bica”, José Ivan, Gilmar Mello, Rosemery Mello, Galego Edílson, Anacleto, Zito, Pedro Bem-te-vi, Luizinho, Robson Soares, Leonan, Nelsão de Triunfo, Jaílson Baiano, Maria José, Ivo de Paula e Ivo Ferreira.

MIRAMAR

Uma das primeiras formas de divulgação e informação inteligente e de baixo custo de propaganda comercial foi o sistema MIRAMAR, fundada por Salviano Gabriel da Silva (conhecido como “Salvino”).

A Miramar funcionava com várias difusoras espalhadas pela cidade, ligadas por fios. Os postes ficavam na “Rua da Frente”, atual Getúlio Vargas, outro na rua do chafariz, hoje Rua das Flores, próximo ao antigo posto de saúde.

O concorrente da Miramar dentro da CHESF era a difusora do Clube Operário – COPA, comandado pelo locutor Paulo Litó.

Paulo Litó lia as cartas dos ouvintes, anunciava filmes e tocava os sucessos musicais do momento.

Os primeiros funcionários da Miramar foram Mário Santos, Mimosa, Hermógenes Miguel de Lima e Luiz Martinelli.

Salvino alugou a MIRAMAR a Epaminondas Ferraz e depois a

Roque Leonardo Barbosa. O grande técnico que resolvia os problemas da MIRAMAR e da VOZ DO POVO era “Seu” Barros (ainda vivo, com 92 anos de idade).

A VOZ DO POVO.

A voz do povo foi outra famosa forma de divulgação comercial da cidade. O nome A VOZ DO POVO foi criado pelo político Adauto Pereira de Souza que fundou na “Rua da Frente”, nas imediações do “Armarinho Imperial” um sistema de autofalantes fixos. A empresa mudou-se pra onde, tempos depois, funcionou o Palácio dos Esportes.

Adauto Pereira entregou A VOZ DO POVO a seu irmão Filadelfo Pereira de Souza que continuou os trabalhos.

Na “VOZ DO POVO” trabalharam Mário Santos, Ednaldo Francisco e Gilberto Leal. A empresa fechou e Gilberto Leal fundou “A Voz do Povo Ambulante”, sistema que funcionou muito tempo com as cornetas autofalantes acopladas a uma Chevrolet Brasil e posteriormente, em um carro modelo Veraneio. Esse sistema, por tempos, fez a comunicação de todo o comércio de Paulo Afonso e principalmente das Casas Pesqueira, colocando Gilberto Leal na história da cidade como o nosso mais popular comunicador.

A RÁDIO POTY

A Rádio Poty foi fundada por Antônio Bernardo da Silva “Toinho” e seu cunhado, o engenheiro russo Constantinovick Kroskovisk.

Antônio Bernardo se associou a Benedito, cujo irmão Raimundo, trabalhou também na rádio Poty.

Kroskovisk construiu um transmissor e se associou a Toinho, fundando a rádio. A assistência ao transmissor era dada por Benedito.

A princípio a Rádio Poty funcionou nos fundos da Pensão Brasília (onde hoje funciona a PRESERVIL), de Dona Brasília, mãe de Benedito.

Tempos depois a rádio Poty passou a funcionar na Avenida Landulfo Alves, onde hoje é a casa de Reinamor, vizinho a casa de peças M.O. Lira.

Mário Santos deixou a Miramar e foi trabalhar na rádio Poty, junto com Paulo de Andrade.

A irmã de Antônio Bernardo, Adalice Maria da Silva, com apenas 15 anos de idade, também trabalhou na rádio com um programa que ia ao ar das 15h00min às 17h00min. O programa chamava-se “Sua Música Predileta”. Adalice foi a primeira mulher radialista de Paulo Afonso.

Na rádio trabalhou também Edvaldo Nascimento, Erundino Viana, que era desenhista da CHESF, também professor do GPA/COLEPA e tornou-se Diretor de Esportes da rádio.

Toinho fazia o programa “Giro Social”, Mário Santos fazia “O Encontro com a Poesia” e “Repórter Relâmpago”, ouvia e gravava em um gravador de rolo todo o programa da Rádio Jornal, transcrevia e depois repassava as notícias para os ouvintes da rádio Poty.

Em 1966 Roque Leonardo comprou a rádio Poty e com ela permaneceu até 1975. Apresentava diariamente, no horário da tarde, um programa onde compareciam crianças e adultos cantando. O programa chamava-se “Tarde de Atração”. Os cantores eram acompanhados por músicos como Deca do Acordeom, Zé Morais dos Oito Baixos e Manuel Cirilo.

Durante o tempo que Roque foi dono da Rádio Poty, os locutores que passaram por lá (alguns ganharam apelidos com os quais são conhecidos até hoje) foram Antônio Galdino, Nilson Brandão, Djalma Nobre, Elias Lourenço, Saul Camboin, Cícero Pires, Silvio Menezes, Luiz Tenório, Osvaldo Ratinho, Gérson Campeão, Aluísio Almeida (Madruga), Luiz José (Bob Charles), Rosalvo Soares (Lilico), Assis “Bolachinha” e o casal Jorge Roberto e Adelaide.

Roque Leonardo também fez da POTY um sistema volante e fazia propagandas em veículos com difusoras acopladas. Criou a Poty Publicidades.

Fazia aos domingos uma transmissão ao vivo dos programas “Coliseu” Show e “Palace de Atrações”.

Roque apresentou vários shows de cantores famosos em Paulo Afonso, como: Altemar Dutra, Agnaldo Timóteo, Roberto Miller, Wanderley Cardoso, Waldick Soriano, Jerry Adriani.

Em 1976, apresentou a grande atração, o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, que veio realizar show pelo supermercado Pinguim, representando as bicicletas MONARK.

Uma das grandes entrevistas de Roque foi com o famoso delegado Cariri, que chegou a Paulo Afonso com a missão de colocar a cidade em ordem, por causa dos constantes assassinatos que ocorriam na cidade, diariamente.

O delegado Cariri adquiriu aqui a fama de matador.

A entrevista foi realizada por Delmiro Deusdeth, repórter da cidade de Alagoinhas, Roque Leonardo e Antônio Galdino.

Muitos homens, nos primórdios da comunicação na cidade, emprestaram suas vozes para divulgarem produtos, apresentarem artistas, realizarem shows, enviarem mensagens.

Em fios ligados a transmissores, nas ondas curtas, médias e longas das transmissões sonoras, muitos deles fizeram história, eternizaram seus nomes, legaram cultura.

Homens que empunharam rústicos microfones e falaram às multidões, fazendo ecoarem vozes que propagaram sons, canções, melodias, acordes e palavras.

Soltaram ao vento a voz da comunicação e fizeram trabalhos memoráveis, deixando para a posteridade seus nomes nas páginas da história de nossa cidade.

radios00 radios01 radios02 radios03 radios04 radios05 radios06

Comentários