Que força é essa?

20 jun 2013

Que força é essa?
Escreveu: Francisco Alves Cardoso – 20/06/2013

Sei lá. É uma coisa diferente que nasce do ego, da imaginação fértil, do desejo de fazer, vencer, repudiar alguma coisa, protestar com força.

O povo é o dono da razão. Quando o povo quer uma coisa, faz de qualquer jeito. E quando o povo decide fazer, não há força humana que impeça. Não precisa de presidente, tesoureiro, secretário ou chefe gritando e decidindo sozinho.

O povo não é besta. Sabe a hora, o momento, a razão, a força e o estilo do grito de guerra.

O povo não tem dono. E chefe político não é proprietário das multidões que lhe apoiam a cada eleição.

Querem ver a prova real? Getúlio Vargas pôs fim a vida, com um tiro de revólver, porque o povo disse a ele “Está na hora, basta!”. Fernando Collor teve o povo nas mãos e depois o povo lhe mandou para casa. E agora o povo está dizendo aos governos atuais que o seu tempo chegou ao fim.

O povo é dono do poder, principalmente quando sente que está sendo driblado pelos poderosos do dia.

O que os brasileiros não aguentam mais é a carga massacrante de impostos enfiada pela presidência da República e o Congresso Nacional. O povo não aguenta essa corrupção generalizada no Governo Federal, governos estaduais, prefeituras, assembleias legislativas e câmaras de vereadores.

O povo cansou dos superfaturamentos de obras da transposição das águas do Rio São Francisco, se é que ela existe, da Copa do Mundo, da Copa das Confederações. O povo não aguenta a criação de quarenta novos ministérios, para empregar milhares de afilhados do governo, com a finalidade de mantê-lo encarapitado no poder, com a chibata na mão.

O povo está nas ruas para dizer às esquerdas, direitas e centros, que os caminhos são outros. Basta de ladrões! Basta de violência alimentada pelos poderes constituídos do Brasil, para matar os mais fracos e garantir os ricos no alto da glória.

Ninguém é besta, sabe que toda essa violência é alimentada pela famigerada classe dominante, que forma um poder faminto, mantido pelos impostos pagos por todos nós.

O povo está nas ruas e vai continuar. Vamos todos gritar contra o bando de usurpadores que ri da nossa cara escancaradamente, com a mesma boca podre aberta, que ninguém sabe nem mesmo qual a que fede mais, se a superior ou a inferior.

O Brasil precisa mudar urgentemente. E não pode mudar colocando no poder central outra corja que canta oposição como grito de guerra, mas por dentro tem o mesmo fedor de corrupção.

A corrupção não está com esse povo que está nas ruas. Está com os sacanas que se encarapitam nos palácios, roubando, matando, mandando usurpar e gozando da cara de quem trabalha.

A hora é de estudos profundos. Já dizia Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, na sua eterna sabedoria, que “A esmola que é dada a um homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”.

Viva o povo! Viva a sua coragem! Vamos às ruas, pois as ruas são nossas. Não adianta os governos mandar a polícia bater, humilhar, matar, pois a força do povo é maior. Vem de dentro de cada um. Vem da força do poderoso Senhor dos Mundos.

Parabéns ao povo! E repúdio para os governantes corruptos.

O povo quer trabalhar, o poder quer roubar. O povo quer paz, o poder quer guerra. O povo quer lisura, o poder quer tripudiar. O povo quer transparência, o poder quer camuflar. O povo quer ficha limpa, o poder quer a sujeira. O povo quer o Ministério Público investigando os crimes, o poder quer somente a polícia, para o acesso ser mais fácil. O povo quer liberdade de ação, o poder quer a ditadura, e o povo quer gente livre, o poder quer gente suja.

Vão para os infernos!!!

Afinal de contas, no Brasil, quem é o santo depois de Jesus?

Comentários