Seca e segurança dominam debates na ALPB

2 abr 2013

A problemática da seca voltou a dominar os pronunciamentos dos deputados na tribuna do Plenário José Mariz na sessão ordinária da Assembleia Legislativa (ALPB) desta terça-feira (02). As discussões foram iniciadas pelo deputado Anísio Maia (PT) que criticou o Governo do Estado por não ter, segundo ele, projetos emergenciais e estruturantes para minimizar os efeitos da estiagem na Paraíba. “Precisamos ter um projeto estruturante de convivência com a seca”, afirmou.

Anísio também criticou o governador Ricardo Coutinho (PSB), que disse que irá propor a Dilma Rousseff (PT), durante a reunião da presidente com os governadores do Nordeste nesta terça-feira em Fortaleza (CE), a desburocratização da liberação dos recursos emergenciais para a seca.

Segundo Anísio Maia, o governador não deveria propor e sim exigir que o Governo Federal destinasse recursos para a Paraíba. “Ele não exige porque o Governo do Estado sequer tem projetos de convivência com a seca. Como não tem nada deveria pelo menos pegar as inúmeras sugestões dos relatórios das ações da Assembleia Legislativa, oriundas da Caravana da Seca e da Campanha SOS Seca, e fazer as cobranças a Dilma”, sustentou.

Os deputados Frei Anastácio (PT), Francisco de Assis Quintans (Democratas) e Toinho do Sopão (PEN) também abordaram a problemática da seca.

Já o deputado Hervázio Bezerra (PSDB), líder da bancada de situação na ALPB, defendeu as ações do Governo do Estado de combate a seca. Segundo ele, “o discurso de Anísio é pura retórica, pois todos sabem das inúmeras ações do governador Ricardo Coutinho e diversos secretários de Estado em Brasília, junto aos ministérios, para buscar recursos do Governo Federal.

“O problema não é falta de projetos e planejamento como diz o deputado Anísio e sim a falta de liberação de recursos do Governo Federal não só para a Paraíba, mas para Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte. Enfim, a pauta é a mesma em todos os estados nordestinos, mas o Governo Federal continua repassando migalhas”, afirmou.

“Cabe ao deputado Anísio e a bancada petista na Casa de Epitácio Pessoa tentar sensibilizar os ministros e a presidenta Dilma para repassar os recursos apropriados para os estados castigados pela estiagem prolongada”, acrescentou.

Segurança

Já o deputado Gervásio Filho (PMDB) abordou os dados de um levantamento realizado pela organização não governamental mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Criminal apontando João Pessoa como a 10ª cidade mais violenta do mundo. Segundo o deputado, os números do feriado da Semana Santa, onde 35 pessoas foram assassinadas, comprovam o clima de insegurança que reina no Estado e na Capital.

“A verdade é que a cada ano os índices da criminalidade aumentam e especificamente com relação a João Pessoa o que nós estamos vendo coloca medo em todo cidadão. Só no feriado da Semana Santa foram computados 35 homicídios e mais 25 tentativas. Estamos falando em 60 caos e o governo obviamente precisa reagir a esta situação”, sustentou.

Gervásio acrescentou que o Estado precisa agir e abandonar o discurso, pois nos últimos anos só adotou medidas para prejudicar os policiais, a exemplo do cancelamento do seguro de vida.

O deputado Frei Anastácio acompanhou o pronunciamento de Gervásio Maia, lamentou o clima de segurança vivido pelos pessoenses e criticou a falta de ações do poder Executivo para combater o problema na Capital e em toda a Paraíba. “O Estado precisa trabalhar em defesa da população”, afirmou.

Comentários