TERRAS IRMÃS

24 abr 2017

Escreveu: Francisco Alves Cardoso – 24/04/2017

Sem sombra de dúvidas, os municípios de Exu no Pernambuco e São João do Rio do Peixe na Paraíba tornaram-se irmãos por causa da história de Luiz Gonzaga, o sanfoneiro que depois da morte uniu os dois territórios na luta cultural pela integração histórica, pela preservação da imagem do “Rei do Baião” e no elo formado pelo respeito e amor ao musical gonzagueano.

No Exu a história é relembrada a cada dia, através das raízes do nascimento de Gonzaga e a edificação do Parque Asa Branca construído por ele, quando ainda vivia na terra de origem.

Em São João do Rio do Peixe, a história surgiu com a fundação do Parque Cultural O Rei do Baião, no ano de 2007, iniciando o denominado Festival de Músicas Gonzagueanas (FESMUZA), que é realizado anualmente com sucesso total. Hoje é considerada uma das maiores festas em todo o Nordeste brasileiro.

As festividades no Exu, sua terra natal, acontecem no mês de dezembro no Parque por Luiz edificado, mês do seu nascimento. Na Fazenda São Francisco, em terras são-joanenses, acontece no mês de agosto, relembrando o período da morte do ídolo.

O livro intitulado “O Encontro dos Parques” marcou a união dos dois municípios, levando ao país inteiro a marca histórica do maior sanfoneiro do Brasil de todos os tempos.

O Parque Cultural inova a cada ano os modelos da festa. Para o corrente ano já apresenta o tradicional FESMUZA, o maior sucesso musical, pois recebe sanfoneiros de várias localidades para o encontro com a alegria em agosto.

O parque também apresenta o Concurso de Poesia em Homenagem ao Gonzagão, que homenageia um membro da família de Luiz Gonzaga; o Concurso Lembrança do Ídolo, o Prêmio A Carta e a Corrida de São Severino.

Para este ano foram lançados mais três concursos: Apologia ao Jumento, Homenagem ao Padre do Juazeiro e Louvor ao Vaqueiro.

Será celebrado também esse ano a IV Missa do Vaqueiro, momento de muita devoção, na manhã do dia 20 de agosto.

A família de Luiz Gonzaga prestigia a festa na Paraíba com as presenças de Joquinha, sua filha Sara, o irmão Piloto e o primo Sérgio Gonzaga.

Os concursos culturais revelam artistas de todos os lugares. O festival de músicas encanta o povo que participa do evento, denominando a festa como a maior de todas em homenagem ao Pernambucano do Século.

Os desfiles, as cores das bandeiras, as delegações de várias regiões nordestinas encantam os visitantes. Quem visita a festa uma vez, retorna todo ano, porque a paixão se perpetua.

Tem ainda a SANFONZAGADA, momento de maior emoção, quando os sanfoneiros se unem para executar uma canção de Luiz Gonzaga, abrindo oficialmente o festival.

A união dos parques é a união da história, o grito da emoção, a força do mistério envolto ao Gonzaga, a alegria de ver a tremulação de cores da Asa Branca, o estouro das sanfonas, o ronco do foguetório e a voz da solidariedade.

Visite! Conheça! Ame! Vista o azul e branco!

Tudo é asa branca do jeito que Luiz deixou.

Sim! Tudo é assim!

Comentários