Treze e Campinense ficam no 0 a 0 na prévia da semifinal do Paraibano

12 maio 2013

Com poucos torcedores no Amigão, os dois times fizeram um jogo disputado

O clássico Treze e Campinense ficou no 0 a 0. Com poucos torcedores presentes no Estádio Amigão neste domingo, as duas equipes fizeram um jogo disputado – prévia da semifinal do Campeonato Paraibano. O Galo foi com força máxima para a partida, enquanto o Campinense, de olho na partida da Copa do Brasil na próxima quarta-feira contra o Flamengo, entrou em campo com o time reserva.

Na última rodada da segunda fase do Campeonato Paraibano, o Treze vai enfrentar o Botafogo-PB, no Amigão. O Galo terá o desfalque do lateral-esquerdo Ramon Zanardi, que tomou o terceiro cartão amarelo. Já o Campinense vai pegar o CSP, no Estádio da Graça, e poderá ter a ausência do volante Glaybson, que sentiu a coxa direita e foi substituído logo na etapa inicial. As duas partidas acontecem no próximo sábado, às 20h30.

Galo pressiona, mas não consegue marcar

Nos primeiros minutos de partida, Treze e Campinense tiveram dificuldades de passar do meio campo. As equipes se estudaram e os atacantes não conseguiam se livrar da marcação. Aos 9 minutos, o Galo começou a pressionar a Raposa. Daniel Costa lançou para Rafael Aidar, que chutou forte em direção ao gol. Mas o goleiro Pantera fez boa defesa.

Após o lance, os dois times começaram a jogar no contra-ataque. Apesar do jogo rápido, nem Treze, nem Campinense conseguiram chegar com perigo à meta do adversário.

Outro lance perigoso só aconteceu no finalzinho da primeira etapa, aos 42 minutos. Daniel Costa mandou um chute forte em direção ao gol de Pantera. Mas a bola foi direto para a linha de fundo. O Campinense quase não chutou a gol no primeiro tempo.

Bismarck em campo e deixa jogo mais movimentado

O Treze começou o segundo tempo sendo amarelado. Logo no começo do jogo, Sandoval e Ramon Zanardi foram punidos. O cartão de Zanardi, inclusive, foi o seu terceiro e ele vai desfalcar o Treze contra o Botafogo. Até os 15 minutos, o Galo pressionava o Campinense, mas não tinha chances de chutar a gol.

Para dar mais movimentação ao meio campo do Campinense, o técnico Oliveira Canindé mandou Bismarck para o jogo. O meia procurou espaços para armar as jogadas, mas nada conseguiu produzir.

Mas já no final do jogo, Bismarck cobrou uma falta perigosa para o Campinense. A bola foi para fora. Após esse lance, o camisa 10 da Raposa teve mais uma chance na bola parada, mas desta vez, o goleiro Éder fez uma grande defesa. E a partida seguiu sem grande chances e com o placar inalterado.

Do GLOBOESPORTE.COM
Campina Grande

Comentários