UM OLHAR SOBRE O MODERNISMO NO BRASIL

10 fev 2014

Sabe-se que o Surrealismo foi um movimento de vanguarda que ocorreu no início do século passado, resultado da revolta contra a estética, em busca da liberdade de inspiração e da representação dos processos de pensamento sem a interferência da moral, como celebração dos movimentos do inconsciente. Para isto, a afinidade com a psicanálise freudiana foi indispensável posto que novos caminhos foram abertos tanto na literatura como nas artes, em especial, na pintura. Na Espanha tem-se Salvador Dali como ícone das artes plásticas, cuja temática é avessa ao que é mecânico, dando destaque ao que representa a expressão do corpo humano.

Como se pode perceber, o berço dos movimentos literários é a Europa que depois se expande para a América.

Nessa linha de raciocínio, a obra “Um olhar regional sobre Coivara da memória” de Maria Dorotéa da Silva, produto de uma tese de doutorado na UFPB, faz uma longa travessia literário-cultural, buscando as origens do modernismo e, através da quatro colunas literárias, chegar ao regionalismo brasileiro e desvendar a volta ao engenho apresentando as marcas regionalistas em “Coivara da memória” do escritor sergipano Francisco Dantas.

Dessa forma, a obra em apreciação, está assim dividida:

(1)- A renovação literária: da Europa ao Brasil. Após discorrer sobre o contexto sociocultural, a autora trata em linhas gerais sobre as vanguardas européias e as rupturas estéticas no Brasil;

(2)-Literatura e revolução, apresentando uma abordagem sobre as vanguardas latino-americanas, a eclosão dos movimentos vanguardistas e, em seguida, a Modernismo no Brasil;

(3)-Memória e linguagem, oportunidade em que aborda a memória como processo um dinâmico, enfatizando sua dimensão social, levando em consideração a dimensão história; trata da memória e literatura alcançando a origem do Regionalismo; finalmente,

(4)- De volta ao engenho. Aqui, a autora compara José Lins do Rego e Francisco Dantas: dois meninos de engenho, faz referências à obra “Coivara da memória”, as marcas regionalistas, as marcas socioculturais e identidade presentes na obra objeto deste estudo, apresenta o cenário nordestino nas metáforas e comparações, exemplificando as ocorrências detectadas na referida obra.

Portanto, Um olhar regional sobre Coivara da memória”, obra de estreia de Maria Dorotéa da Silva, merece reflexão.

Comentários