VEREADORES DENUNCIAM GESTÃO DO PREFEITO ALAN. O GESTOR ALEGA FALTA DE RECURSOS MAS, QUERIA CRIAR 14 CARGOS COMISSIONADOS.

3 maio 2018

O prefeito Alan (PSB) da cidade de Cachoeira dos Índios, realmente consegue se superar cada com uma capacidade impressionante. Quando se pensa que ele já alcançou seu limite de surpreender seus munícipes, eis que o chefe do executivo Cachoeirense, tira no sentido ilustrativo, mais um “Coelho da Cartola”. Na sessão desta quarta-feira dia 03, um projeto de lei de iniciativa do Executivo Municipal, que cria a controladora no município gerou muita discussão, segundo a bancada de situação, esta é uma exigência do TCE.

A questão que vem causando polemica é a visível elevação de uma folha que já começa a dar sinais que está encostando no vermelho-Claro. O prefeito, não consegue mais pagar aos efetivos dentro do mês trabalhado, já quando o assunto são os pobres contratados há relatos de que eles, estão com 2 meses sem salários.

A nova secretaria, contaria nada mais, nada menos, com 14 cargos em comissão e conforme demonstrativo à baixo, com salários considerados altos para a realidade do município, a controladoria, pode custar até 30 mil por mês. Cachoeira tem uma população aproximada a 10.400 pessoas enquanto Cajazeiras, quem tem outras fontes de renda e com população 5 vezes maior, conta em sua controladora com cerca de 3 pessoas, 11 a menos e não custa 15 mil, mês,  aos cofres do município. O vereador Francisco fez uma explanação na tribuna sobre o tema.

A matéria não foi aprovada, saiba como foi a votação:

Seguindo a orientação do Prefeito: ITAMAR LEITE, DJALMA, JR RITA ,ERISBERGUE E  CHICO TEIXEIRA.

Contra a iniciativa de ALAN: FRANCISCO, FEITOSA E JACILDO.

São constantes nas redes sociais e meios de comunicação, as denuncias contra o gestor e por falar, em denuncia, também ontem o vereador Chico Brito que preside aquele legislativo,  denunciou que enquanto dezenas de alunos foram prejudicados pela falta de transporte, um ônibus está ha quase dois anos, parado. Brito além de denunciar que foram retiradas peças deste veículo disse que o concerto custa em média 5 mil. Quando foi levado para a manutenção na gestão passada, o concerto custaria 13 mil. Alan já pagou boa parte desse valor, porém de maio de 2017 para cá, mais nenhum valor foi pago.  O vereador ainda revelou, alguns moradores estão fazendo uma “vaquinha” para reformar uma passagem molhada em Baixa Grande, visto que a demora da prefeitura tem causado aborrecimento aos transeuntes.

Assessores alegam a queda de recursos, discurso que cai por terra, quando o prefeito vai elevar as despesas com pessoal. Anteriormente Cachoeira era 0.6 e graças ao governo Bodin, o FPM passou para 0.8, ou seja, se mantida apenas as despesas que existiam, de certo não haveria sufoco na gestão Alan Seixas.

Redação: Jotha Herre

Comentários