Wellington dá ultimato a Vené e admite aliança fora do PMDB

5 jun 2013

Wellington dá ultimato a Vené e admite aliança fora do PMDB: “Não aceito rasteira. Ou cumpre comigo ou darei resposta imediata”

Quem conhece o deputado federal Wellington Roberto, presidente do PR paraibano, sabe muito bem que ele nunca foi de ter medo de dizer as coisas que quer dizer. Excluído até agora do processo de indicação pra vaga de Senador na chapa do PMDB a ser encabeçada pelo ex-prefeito Veneziano Vital do Rego, resolveu colocar ordem no negócio.

Numa entrevista que durou 30 minutos com o signatário deste blog, Wellington, que tem intenções de disputar o Senado da República, cobrou reciprocidade nos compromissos firmados com o PMDB e, principalmente, com Veneziano Vital do Rego.

Ele lembrou quem em 2012 sabia da dificuldade da campanha de Tatiana Medeiros na disputa pela prefeitura de Campina, mesmo assim não abandonou o PMDB, fechando a parceria e projetando o compromisso pra 2014.

“Afirmo a quem quer que seja que cumprimos a nossa parte. Nunca dei nem aceito rasteira. Se tentarem fazer isso comigo, darei resposta imediata”, disparou Wellington, num tom que seus amigos e inimigos bem conhecem.

Sua fala completa a do filho, deputado Caio Roberto, que na semana passada declarou que o pai não abriria mão da vaga de senador.

Pedi pra Wellington “traduzir” o que seria “resposta imediata” e o deputado mais uma vez não titubeou: “Abrirei canal de diálogo com outros candidatos”.

Ao blog, ele confessou que sequer foi convidado para o primeiro ciclo de debates que o PMDB está realizando com desejo de expandir a pré-candidatura de Veneziano. Afirmou que, após as declarações de Caio, foi convidado pra o evento a ser realizado em Sousa.

Disse que só iria se conversar antes com Veneziano. Quer coloca o pingo nos is. “Sou correto. Sou leal. E há várias eleições que venho dando respostas ao PMDB. O PR elegeu 12 prefeitos e centenas de vereadores. Avaliamos que temos condições pra disputa. Se acontecer alguma coisa fora disso, repito, a resposta será imediata”, completou.

Veneziano não sequer citado o nome de Wellington em suas entrevistas. Agora, após as declarações do deputado, certamente, dará uma resposta imediata.

Luís Tôrres

Comentários