“Água: o líquido precioso”

19 mar 2013

“ÁGUA: O LÍQUIDO PRECIOSO”

Clemildo Brunet*

22 de março é o Dia Mundial da Água.

Estariam os habitantes deste planeta preocupados bastante com o nosso líquido precioso? Alertas são dados no sentido do cuidado a ser aplicado no nosso meio ambiente, que de certa forma sofre as consequências do desmatamento de nossas florestas e a poluição do ar nas grandes metrópoles.

Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas – ONU, em 1993 declarou a data acima como o dia mundial da água. Muitos Estados foram convidados a participar da realização desse dia, a fim de promoverem atividades concretas na conscientização pública; organizando conferências, seminários, publicações e divulgação de documentários no que diz respeito à preservação ambiental no desenvolvimento dos recursos hídricos.

A comemoração desse dia nos traz um alerta:

Segundo a ONU, 3% de todo água terrestre é própria para consumo. Água é vida e como tal é o nosso sustento. Sem este líquido é impossível à existência vegetal e animal, incluindo o ser humano, pois setenta por cento de nossa alimentação e do nosso corpo é constituído por água.

Dois terços da superfície da terra os cientistas calculam o seu volume total em 1,42 bilhões de Km. A maior parte está composta de 95,1% pelas águas salgadas dos mares e oceanos. Os 4,9% restante são de água doce. As geleiras polares ocupam 97% desse precioso volume; E a água na forma líquida disponível ao nosso uso é estimada em pouco mais de dois milhões de Km. Desse modo, 99,9% das águas de nosso planeta são águas salgadas ou permanentemente congeladas.

Ainda segundo a Organização das Nações Unidas- ONU, nos países em desenvolvimento a taxa de doenças e mortes é de 50% por falta do precioso líquido ou sua contaminação. Isso se deve ao crescimento veloz da população mundial e acrescente poluição que é causada também pela industrialização. Assim, a água é o recurso natural mais estratégico de qualquer nação do mundo.

Nossa Pombal tem essa riqueza natural que vem do Açude Estevão Marinho da cidade de Coremas. Alcancei uma época quando não havia ainda o fornecimento de água nas torneiras. A água era transportada no lombo de jumentos. Parece incrível, apesar de não haver tantos cuidados com a chegada do precioso líquido nas casas, não se registrava muitos casos de doenças. No entanto, depois de tantos mecanismos modernos na distribuição da água com aplicação de produtos químicos, temos visto casos de doenças em larga escala por causa da contaminação da água.

A despeito das inúmeras campanhas realizadas em favor do meio ambiente a margem ribeirinha, os resultados não têm sido satisfatórios. O nosso povo esquece ligeiro essas manifestações em favor da nossa ecologia. Quem visitar a área do Rio Piancó que fica por traz do Grande Hotel, vai ver a diferença da época em que existia ali uma passagem molhada por onde os carros tinham acesso a estrada vicinal para São Domingos, Várzea Cumprida das Oliveiras, Leites, e outras localidades. O local não oferece nem condição para se tomar banho como era feito antigamente.

O Rio Piancó que margeia a cidade de Pombal tem sua água contaminada com lixo. Em breve haverá a despoluição do nosso rio com o aterramento sanitário que está sendo feito pela Administração da Prefeita Asnaya Pollyanna Dutra, com recursos oriundos do Governo Federal.

Em nosso planeta já se fala em escassez de água e aquecimento global. Dados do International Vater Management Institute – IWMI mostram que, no ano de 2025, 1.8 bilhão de pessoas de diversos países deverão viver em absoluta falta de água, o que vale a mais de 30% da população mundial.

No encontro que Nosso Senhor Jesus Cristo teve com a mulher samaritana a beira do poço de Jacó, o Mestre chamou atenção para a preciosidade da água. Todos que bebessem daquele líquido tornariam a ter sede, enquanto ele (Jesus) tinha um tipo de água, que aqueles que a provassem, jamais teriam sede.

Quando eu vejo hoje os homens preocupados com o aquecimento global e a falta que a água vai fazer, me lembro de que no tempo do Apóstolo Pedro, ele advertiu sobre um dos sinais da segunda vinda de Jesus Cristo:

“Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água”. 2 Pe 3:5,6.

A profecia se cumpriu. Todos sabem do dilúvio! No versículo seguinte Pedro fala do que virá acontecer:

“ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, tem sido entesourados para fogo, estando reservados para o dia do juízo e destruição dos homens ímpios” 2 Pe 3:7.

Assim caminha a humanidade.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Pombal, 19 de março de 2013 – O Ano da Esperança.

Radialista, blogueiro, Colunista
brunetco@hotmail.com
Twiters @clemildobrunet e @brunetcomunica
https://www.facebook.com/clemildo.brunetdesa
http://www.clemildo-brunet.blogspot.com/

Comentários