Árbitro desfere três facadas e mata goleiro em pleno jogo

25 fev 2013

Após cartão vermelho, árbitro de jogo de várzea dá três facadas e mata goleiro em Araçoiaba (PE)

O que seria uma simples partida de futebol entre dois times de várzea acabou se transformando em tragédia, em Pernambuco. O goleiro do time Trintão Futebol Clube de Itaquitinga que disputava um jogo contra o Brilhante Futebol Clube de Araçoiaba, foi assassinado a facadas pelo árbitro do jogo, depois de receber um cartão vermelho.

O assassinato aconteceu na manhã de ontem, em um campo localizado no município de Araçoiaba (59 km do Recife), na zona da mata norte de Pernambuco, na frente de todos os outros jogadores e de dezenas de pessoas que assistiam à partida. O suspeito está foragido.

De acordo com o pastor Ricardo Alves, que acompanhava a partida, a discussão entre a vítima, Josivaldo Soares, 30, e o suspeito, João Batista, 41, começou logo que Batista deu um cartão amarelo ao goleiro.

“Eles já estavam discutindo desde o primeiro cartão. Mas, quando o juiz do jogo deu o cartão vermelho a ele, eles discutiram, o goleiro o chamou de miserável, e, quando se virou, o árbitro tirou uma faca da bermuda e deus três facadas nas costas dele”, contou.

Ainda segundo a testemunha do crime, Alves conseguiu correr por cerca de 200 metros e ficou agonizando durante vinte minutos até ser socorrido. “A polícia demorou quase duas horas para chegar e o coitado ficou um tempão caído aqui.” O goleiro ainda foi encaminhado para a Unidade Mista de Araçoiaba, mas já chegou sem vida ao local.

O suspeito, que trabalha como auxiliar de serviços gerais na prefeitura da cidade, já tinha fama de “brigão” e costumava carregar a faca para onde ia. Segundo a delegada Morgana Alves, que esteve no local do crime, Batista já tem uma passagem pela polícia por agredir a companheira.

Ele fugiu logo após esfaquear a vítima e já é considerado um foragido. De acordo com a delegada de Araçoiaba, o suspeito pode ser indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe.

Carol Guibu
Do UOL, no Recife

Comentários