Botafogo aplica a maior goleada do Paraibano e detona o Cruzeiro

20 fev 2013

Líder do Paraibano, Belo não toma conhecimento do lanterna e aplica a maior goleada da competição até aqui. Warley marca e assume artilharia

Humilhante. O Botafogo-PB tripudiou em cima do Cruzeiro de Itaporanga. Em partida realizada na noite desta quarta-feira, no Estádio da Graça, o Belo aplicou a maior goleada do Campeonato Paraibano até aqui. Com um impiedoso e incontestável 9 a 2, o Alvinegro da Estrela Vermelha praticamente rebaixou a Raposa do Vale e se isolou ainda mais na liderança do Estadual.

Foi um jogo atípico. Depois de um primeiro tempo que terminou com um placar de 3 a 2, ficava complicado prever um placar tão elástico ao fim do jogo. Mas o Botafogo foi muito superior e com boas atuações principalmente de Warley, Wanderley e Fábio Neves, o time fez mais seis gols no segundo tempo e assumiu o posto de time com melhor ataque na competição: 32 gols em 12 jogos.

Agora com 30 pontos, o Belo está a uma vitória de conquistar o título da primeira fase. Na próxima rodada, o Alvinegro vai a Cajazeiras enfrentar o Paraíba no Estádio Perpetão. A partida está marcada para as 16h do domingo. Já o Cruzeiro segue com sete pontos, na lanterna do Paraibano, e depende de um milagre para escapar do rebaixamento. O time permanece em João Pessoa para, também no domingo, enfrentar o Auto Esporte na Graça.

Botafogo começa melhor, mas toma sustos

O início do jogo já deu a impressão de que o Botafogo partia para uma goleada história. Com menos de um minuto bola rolando, Fábio Neves, Wanderley e Warley fizeram boa triangulação e W9 bateu para o gol. A bola passou raspando a trave do goleiro Aranha.

Na primeira chegada, um susto; na segunda, o gol. Aos três minutos, Fábio Neves encontrou Wanderley bem posicionado e deu o passe. O camisa 11 do Belo dominou, se livrou da marcação e tocou com estilo para abrir o placar. Botafogo 1, Cruzeiro 0.

Os donos da casa seguiram seu domínio no jogo e não demoraram a ampliar a vantagem. Sempre com o trio ofensivo articulando muito bem as jogadas de ataque, o Belo chegou ao segundo gol aos 15 minutos. Warley fez bela jogada e encontrou Edgard em perfeitas condições dentro da área. O meia bateu com firmeza e balançou as redes de Aranha. 2 a 0.

Mas aí o Cruzeiro, que parecia morto no jogo, começou a reagir. Seis minutos depois de sofrer o segundo gol, a Raposa do Vale conseguiu diminuir com Pablo. Depois de falha da zaga e de um bate-rebate na área do Botafogo, o lateral-esquerdo cruzeirense soltou a bomba no meio do gol, vencendo Genivaldo e diminuindo a vantagem alvinegra.

O Botafogo ainda tentava retomar o controle da partida, quando aos 25 o Cruzeiro empatou. Celico falhou pela esquerda da defesa do Belo e o lateral-direito Nido cruzou para Rodrigo dominar e tocar de perna esquerda para as redes de Genivaldo. Era o gol de empate na Graça.

Após sofre o empate, o Botafogo partiu para cima e chegou a marcar aos 32 com o zagueiro Thuran, mas a arbitragem já marcava irregularidade na jogada do Belo. Só que dois minutos mais tarde, Fábio Neves marcou e o gol foi validado. Depois de tabelar com Izaías e Warley, Fábio recebeu de W9 e teve categoria para balançar as redes do Cruzeiro. 3 a 2.

Muita correria e cinco gols depois, o árbitro João Bosco Sátiro apitou o final do primeiro tempo.

Botafogo cria as chances, aproveita e humilha o Cruzeiro

O Botafogo voltou para o segundo tempo num ritmo mais alucinante do que no primeiro. E o que se viu no campo da Graça foi um massacre e um show de gols do Belo.

Aos quatro minutos, o Alvinegro já havia marcado mais duas vezes, abrindo 5 a 2 no placar. Primeiro Edgard aproveitou a sobra de bola num lance em que Thuran tentou de cabeça, mas errou a finalização. O meia marcou o quarto. Depois foi a vez de Ferreira tabelar com Warley e tocar com estilo no canto do goleiro Aranha, marcando o quinto.

Aos sete minutos, como se fosse preciso, o meia Anderson Morcego, que havia entrado no primeiro tempo no lugar de Rafael, tratou de piorar as coisas para o lado do Cruzeiro e foi expulso ao se irritar e jogar a bola no chão. Com um a mais em campo, o Belo seguiu tripudiando em cima da Raposa do Vale.

Aos 20 e aos 23, mais dois gols. Primeiro com o zagueiro Thuran, que aproveitou rebote depois de cobrança de escanteio e bateu de primeira, vencendo o goleiro Aranha. Depois com Warley, que, após falha grotesca de Totó, chutou no canto esquerdo do arqueiro cruzeirense, marcando o sétimo gol do Belo. O W9 chegou a nove gols no Estadual e superou o trezeano Tiago Chulapa, assumindo a artilharia isolada da competição.

Marcelo Vilar ainda mandou o jovem Michel e Gil Bala a campo nos lugares de Edgard e Fábio Neves. E o Cruzeiro ainda teve mais um expulso: Totó, que fez falta dura em Izaías e recebeu o segundo amarelo.

E o Botafogo ainda teve futebol para, aos 30 minutos, marcar o oitavo gol, com André Lima, que recebeu cruzamento de Gil Bala e, de cabeça, mandou para as redes. E aos 45, o estreante Michel ainda recebeu de Warley para marcar seu primeiro gol com a camisa do Belo e dar números finais à partida. Botafogo 9, Cruzeiro 2, na maior goleada do Campeonato Paraibano de 2013 até aqui.

Do GLOBOESPORTE.COM
João Pessoa

Comentários