Época das luzes

7 nov 2016

O final do ano aproxima-se, e com ele uma nova atmosfera: de luminosidade! Sim, época de muitas luzes coloridas nas fachadas das casas, dos prédios, dos apartamentos, das igrejas. Luzes nas praças, nas avenidas, nos shoppings, nos clubes, nas escolas, casas de festa… e nos corações dos homens, será também, tempo de luminosidade?

Será que nesta época do ano, afastamos de nós a escuridão do egoísmo, do desamor, do respeito e da exclusão ao outro, às diferenças? Será que nessa época das luzes, os nossos corações iluminam-se com a luz da partilha, da justiça, da verdade, da união e do amor fraterno?

A história das luzes de natal surgiu nos Estados Unidos, através de Thomas Edson, que queria divulgar sua criação da luz elétrica. Para exibir a sua invenção. Ele pendurou diversas lâmpadas incandescentes ao redor do seu laboratório, no Parque Menlo, com o objetivo de chamar a atenção dos passageiros da ferrovia que por ali passavam, para o milagre das luzes que criara.

Deus, no mês de dezembro, também nos presenteou com um grande, o verdadeiro Milagre, Jesus Cristo, Luz do mundo. E nós, propagamos esse grande Milagre de amor? Vivenciamos esse Milagre no dia a dia das nossas vidas? Nós vivemos o Milagre da Luz, que é Jesus Cristo em nossas famílias? Nós atestamos o Milagre que é Jesus em nossas ações diárias? Acendemos a Luz do mundo em nós, todos os dias?

Será que a luz que procuramos, na época do natal é a verdadeira Luz? “Luz para os nossos pés e para os nossos caminhos? A Luz que que só Cristo possui, porque nEle não há escuridão? Porque Jesus é bom e misericordioso, porque a sua Misericórdia alcança todos, independentemente de cor, raça ou religião.

Sentimos que no final do ano, quando se aproxima o natal há uma verdadeira transformação nas casas, nas ruas, nas avenidas. Na cidade como um todo. Há uma renovação. Um espírito novo paira no ar. Que bom seria se também houvesse essa transformação nos homens, em seus corações. Se o Espírito Santo de Deus se apossasse de nós, de nossos corações, haveria uma grande transformação no mundo. As guerras cessariam, pois o amor reinaria e não haveria lugar para a ambição, para a ganância, para a supervalorização do dinheiro, do ter.

Que bom seria se houvesse natal nos nossos corações. Nossas luzes seriam outras. Nosso brilho seria outro. Ao invés de preocupações com roupas, enfeites e festas, haveria comunhão entre os irmãos. Não haveria disputas por presentes caros, pois o presente já temos: Jesus!

O verdadeiro significado do Natal é o amor: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” O verdadeiro significado do Natal é a celebração deste ato de amor incrível.

Comentários