Grêmio sofre com campo ruim, leva virada do Caracas e tem vaga ameaçada

13 mar 2013

Do UOL, em Porto Alegre

O Grêmio começou na frente, mas não resistiu ao Caracas. Sofrendo com gramado ruim, nesta terça-feira, o time tricolor perdeu por 2 a 1, no estádio Olímpico UCV em complemento da quarta rodada do grupo 8 da Libertadores. Com a queda, os brasileiros têm a vice-liderança da chave ameaçada.

O tricolor poderia encaminhar a classificação para próxima fase, mas viu o quadro virar completamente. O resultado deixa o Grêmio com 6 pontos, em segundo, e o Caracas com a mesma pontuação, atrás somente no saldo de gols. O time de Porto Alegre se vê pressionado para somar pontos contra o Fluminense na próxima rodada, na Arena, e encerra a fase de grupos contra o Huachipato no Chile. Dois confrontos difíceis. Enquanto isso, o Caracas vai ao Rio pegar o Flu, mas recebe o Huachipato em casa.

A principal preocupação do Grêmio na partida contra o Caracas ficou evidente já no começo do jogo. O campo muito ruim do estádio Olímpico UCV tirou a qualidade da partida. Chances de gol ocorreram em falhas individuais, bolas alçadas e muita ligação direta. Mais técnico, o Grêmio se viu amarrado.

Foi assim já aos 15 segundos de jogo, quando o Caracas justificou necessidade de vencer para seguir sonhando com classificação na Libertadores. Um lançamento mal afastado por Pará acabou nos pés de Farías, que chutou de dentro da área e Dida defendeu.

Barcos driblou dois marcadores e bateu para fora aos 8. Foi um raro momento em que o campo autorizou uma jogada mais bonita. Em seguida, um lateral novamente mal afastado por Pará acabou em nova conclusão perigosa do Caracas. Dida pegou novamente.

Se pelo chão estava complicado, o Grêmio abriu o placar pelo alto. Cruzamento de André Santos para cabeça de de Elano, aos 16 minutos. O Caracas tentou pressionar. Otero foi a principal arma dos venezuelanos. Até que no último minuto de etapa inicial, através da bola parada, os donos da casa empataram. Otero bateu falta, a bola rebateu na barreira e se ofereceu para Peña, que chutou forte dando igualdade ao jogo e encerrando a primeira etapa.

No segundo tempo o Grêmio tentou sair para o jogo. Barcos e Zé Roberto criaram oportunidades, mas não recolocaram os brasileiros em vantagem. Aos poucos os visitantes recuaram e o Caracas virou o jogo. Pará errou passe no meio-campo, Cure foi lançado e cruzou para Farías virar a partida, aos 21 minutos.

Vanderlei Luxemburgo colocou todo o time para cima. A formação com 3 atacantes, repetidamente treinada no Brasil, foi testada finalmente em um jogo. Willian José e Welliton entraram para auxiliar Barcos. Foi insuficiente. O Grêmio parou na barragem defensiva adversária. Foi a primeira derrota gremista para times venezuelanos na história.

Do UOL Esportes

Comentários