Juventude no “Homem de Areia”

5 jun 2017

casa

Juventude no “Homem de Areia”

A Fundação Casa de José Américo criou, a modelo do “Verbo & Imagem” da Academia Paraibana de Letras, o Cineclube “O Homem de Areia”, homenageando primeiramente José Américo de Almeida, único protagonista do filme que assim o intitula seu renomado Diretor, o conterrâneo itabaianense Vladimir Carvalho, também homenageado, ao completar seus 70 anos de vida dedicada, com criações cinematográficas, a revolucionar o cinema paraibano.

O aniversariante Cineclube “Homem de Areia”, há dois anos, exibe, sempre na primeira quarta-feira do mês, às 19:30, um excelente filme escolhido por seu Conselho Deliberativo, constituído por cinéfilos e cineastas que primam pelo bom gosto e pelos conhecimentos sobre a Sétima Arte. A FCJA faz questão de mostrar, no seu Salão Nobre, os cartazes das películas exibidas: Rica seleção que a arte no cinema tem realizado. As comemorações contam, no dia 7 de maio, às 19:30, com o filme “A Juventude” e com comentários do psicanalista Luís Gonçalves de Andrade e do próprio homenageado Vladmir Carvalho; e, no dia 8, às 9:30 horas, com o curta “Diálogo de Vladimir com Zé Américo e o Cinema”; a seguir, com uma Mesa Redonda sobre “Cinema e Cineclubismo na Paraíba”.

A Juventude (Youth), de Paolo Sorrentino, deve ser visto várias vezes e ainda nos motiva a revê-lo outras vezes, pela força da sua surpreendente beleza, pelo seu profundo conteúdo, no qual , em cada cena e em cada diálogo, vivencia-se a purificação da alma dos seus personagens. É como se fosse uma catarse, própria dos resultados morais conceituados por Aristóteles nas clássicas tragédias gregas ou o que ocorre em Hamlet, de Shakespeare: Emoções que muito afirmam, mas também nos deixam levitando num mar revolto de interrogações.

Damião Ramos Cavalcanti
http://www.drc.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6015248

Comentários