Paraibano é cotado para substituir Teori na Lava Jato

23 jan 2017

O ministro paraibano Herman Benjamin é um dos nomes cotados para substituir Teori Zavascki na relatoria do maior e mais complexo processo criminal envolvendo a elite política e econômica do país.

Herman-Benjamin-ministro

O corpo do ministro Teori Zavascki ainda jazia sobre uma maca do Instituto Médico-Legal de Angra dos Reis (RJ), na manhã de sexta-feira, quando parlamentares, ministros, juristas e integrantes de Cortes superiores já especulavam as formas de substituição do relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

A prerrogativa constitucional de indicar um novo ministro cabe a Michel Temer, mas o presidente sinalizou que deve aguardar que a presidente do tribunal, ministra Cármen Lúcia, redistribua os processos da Lava-Jato entre atuais integrantes do plenário. Assim, teria menor pressão.

Confira o perfil de alguns postulantes à vaga de Teori:

Herman Benjamin – Aos 59 anos, Antonio Herman de Vasconcellos e Benjamin é paraibano de Catolé do Rocha. Formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem mestrado na niversity of Illinois College of Law, nos Estados Unidos. Ministro do Superior Tribunal de Justiça desde setembro de 2006, foi indicado pelo então presidente Lula. É membro substituto do Tribunal Superior Eleitoral e vice-diretor da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Sálvio de Figueiredo Teixeira.

João Otávio de Noronha – Aos 60 anos, João Otávio de Noronha é mineiro de Três Corações. Formado pela Faculdade de Direito do Sul de Minas, em Pouso Alegre, é especializado em Direito do Trabalho e Direito Processual Civil. Ministro do Superior Tribunal de Justiça desde dezembro de 2002, foi indicado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Diretor da Escola Judiciária Eleitoral, a partir de 10 de junho de 2014. É diretor da Escola Judiciária Eleitoral e corregedor nacional de Justiça.

Luis Felipe Salomão – Aos 53 anos, Luis Felipe Salomão é baiano de Salvador. Formado pela Faculdade Nacional de Direito da Universoidade Federal do Rio de Janeiro, tem pós-graduação em Direito Comercial. Ministro do Superior Tribunal de Justiça desde junho de 2008, foi indicado pelo então presidente Lula. Preside a comissão de juristas com a finalidade de elaborar anteprojeto de lei de arbitragem e mediação e é professor Emérito da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro e da Escola Paulista da Magistratura.

Mauro Campbell Marques – Aos 53 anos, Mauro Luiz Campbell Marques é amazonense de Manaus. Formou-se em Direito pelo Centro Universitário Metodista Bennett, no Rio de Janeiro. Ministro do Superior Tribunal de Justiça desde junho de 2008, foi indicado pelo então presidente Lula. É presidente da Comissão Permanente de Desburocratização do Senado, corregedor-geral da Justiça Federal, presidente da Turma Nacional de Uniformização e diretor do Centro de Estudos Judiciários.

Alexandre de Moraes – Polêmico, o ministro da Justiça chegou a ser citado pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello. Tem 48 anos, é advogado e foi promotor do Ministério Público. Também atuou em diferentes cargos na prefeitura de São Paulo, mas ampliou sua notoriedade ao assumir, em dezembro de 2014, a Secretaria de Segurança Pública do governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

Grace Mendonça – Primeira mulher a chefiar a Advocacia-Geral da União (AGU), por decisão de Temer, tem 49 anos e é funcionária de carreira da AGU. Em 1990, formou-se em Direito no Centro Universitário do Distrito Federal e é especialista em Direito Processual Civil. Recentemente, seu nome foi citado como “indicada” para resolver impasse no caso do apartamento de Geddel Vieira Lima.

ParlamentoPB
Com Cofemac

Comentários