Se é pra roer a gente rói rsrs… (Andrade Lima x Daiana Oliveira)

16 jan 2017

A.L
Seu desprezo foi fatal
E a solidão me maltrata.
A saudade cruel mata
E lembrando passo mal.
Se ligo, falta sinal
Na hora da ligação.
Meus prantos molham o chão
E a tristeza sinaliza:
Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.
D.O
Depois de tanto beber
Com o coração ferido
Ele ficou foi partido
E inventou de roer
Apanhou para bater
Quase ficou sem paixão
E a sua pulsação
Inda hoje martiriza
“Remédio não cicatriza
As dores do coração!”
.
A.L
Estou como uma remessa
Emitida sem destino.
Quem pega, diz: não assino
Se quiser pra outro peça.
Igual você caí nessa
E fiquei sem direção!
Eu falei: tu tens razão,
Porque quem leva uma pisa…
Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.
D.O
Quando a dor duma saudade
Mexe com nossa lembrança
Parece uma criança
Brincando na mocidade
Mais depois da meia idade
Onde acha uma paixão
Que faz uma traição
E no peito ainda pisa
“Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.
A.L
É comum quem perde alguém
Da noite virar boêmio.
E a boêmia ser o prêmio
De quem está sem ninguém.
Quando grito ela não vem
Me tirar dessa aflição.
Depois da separação
O meu mar não tem mais brisa…
Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.
D.O
Deu febre, dor e calor
Depois da sua partida,
Foi triste em ver a ida
Daquele que dei valor
Pra provar o meu amor
Eu faço como oração
-Perdi a minha paixão .
Escrito numa camisa
“Remédio não cicatriza
As dores do coração!”
.
A.L
Não tem chá de esquecimento
Para o coração doente.
A lembrança afeta a mente
E a saudade o sentimento!
Não se exclui do pensamento
Um amor ou uma paixão.
Porque a recordação
Quando vem não nos avisa.
Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.
D.O
Não tem como não chorar
C’uma dor assim tão grande
Que parece que se expande
Quando volto a lembrar.
Às vezes faz sufocar
Essa triste solidão
E até a minha pressão
Às vezes não normaliza
“Remédio não cicatriza
As dores do coração!”
.
A.L
A dor que sinto é interna
E disfarço os sentimentos,
Pra esconder os ferimentos
Sem demonstração externa.
Meu corpo virou caverna
De uma civilização
Que não sente compaixão,
Me tortura e me escraviza.
Remédio não cicatriza
As dores do coração!
.

Andrade Lima

Poeta Andrade Lima

Daiane Oliveira

Poetisa Daiana Oliveira

Comentários